19/10/2014

Souvenirs de viagem


Uma lembrança de viagem é geralmente um objeto comprado no destino visitado, e que reuna características que nos fazem pensar imediatamente nas experiências vividas no lugar, nos cheiros e sabores apreciados durante a estadia, algo que represente aqueles instantes especiais e que nos transporte, de alguma forma, aquele momento específico no tempo, que nos marcou profundamente. Lembro-me bem que, na ocasião da minha primeira viagem à Europa, que foi também minha primeira viagem ao exterior, em 2004, criei um fotolog, no qual compartilhava com minha família, amigos e colegas de faculdade algumas imagens que registrava ao longo das seis semanas passadas viajando pela Suíça. A cada novo destino visitado eu queria, obviamente, trazer uma lembrança pra presentear alguém, e quando cheguei em Paris sucumbi ao apelo das miniaturas de Torre Eiffel vendidas a um preço módico, e levei comigo pra casa. Uma delas eu dei pra minha avó, que tratou de colocar junto com seus próprios souvenirs de viagem.

17/10/2014

Santons provençais

Santon vem do provençal e significa "santo". Meu primeiro contato com os santons provençais foi durante o primeiro natal que passamos aqui, em 2010. Passeava pela feira de natal, que todo ano enfeita o Cours Mirabeau, e próximo à Rotonde vimos várias barraquinhas expondo bonecos de barro com trajes provençais, além de belos presépios compostos por imagens no mesmo estilo. Alinhados cuidadosamente e dispostos em função do seu tamanho, os bonecos são em grande parte coloridos, seja pelos trajes que ostentam, seja pelo trabalho minucioso de pintura que é feito pelos artesãos. 


10/10/2014

Projeto #52livros, livro 16: O planeta dos macacos


Dia desses, conversando com dois amigos franceses que fiz na faculdade, nos egamos falando de filmes que assistimos recentemente. Quando disse que o mais recente "Planeta dos macacos - o afrontamento" tinha sido meu último filme, meu amigo logo sugeriu a leitura do livro, escrito por um francês. Daí acabamos mudando o assunto rapidamente de filmes para livros, e ambos fizeram uma série de recomendações que em breve aparecerão por aqui, inclusive com alguns autores provençais.

05/10/2014

7 cantores francofones pra incluir na sua playlist

A música francesa não fazia parte do meu repertório antes de nos mudarmos pra cá, mas desde nossa chegada alguns artistas ganharam espaço na minha playlist e alguns títulos me ajudaram a aprender ou melhorar a fluência no idioma, além de enriquecer o vocabulário e variar um pouco o estilo musical ao qual estava habituada. Por vezes me pego dançando sozinha ao som do mais recente sucesso francofone e canto junto, mesmo que seja desafinada, mas porque as letras me agradam e a melodia é gostosa, e isso faz valer o ditado "quem canta, seus males espanta". Fiz uma listinha dos artistas francofones que escuto com certa frequência, seja no trajeto casa-trabalho, seja quando estou em casa.

03/10/2014

Porto, um sério caso de amor à primeira visita



Na minha primeira vinda à Europa, em 2004, Portugal foi o primeiro país onde pisei em solo europeu, o tempo de uma conexão entre Lisboa e Zurique. Mesmo sem ter saído do aeroporto, e tendo visto apenas o que a janelinha do avião nos mostra antes da aterrissagem, sabia que iria voltar pra conhecer a "terrinha". Quase dez anos depois da primeira pisada em solo português, eis que um feriado no fim de maio se mostrou a ocasião perfeita pra finalmente fazermos nossa primeira viagem à terra dos descobridores do Brasil.

27/09/2014

Pont du Gard, patrimônio da humanidade na Provença


A região da Provença tem um patrimônio natural e histórico inestimável, e que vai muito além dos campos de lavanda que colorem e perfumam a região durante apenas um mês no verão. Grande parte dos monumentos da região constituem uma herança impressionante deixada pelos romanos na época que expandiram seu império até o sul da França, região que era conhecida então como "província romana" e que ficou mais tarde conhecida como Provença. Naquela época os romanos construiram grandes cidades às margens do rio Rhône (Ródano), como é o caso de Arles e Nîmes, e em ambas podemos ainda hoje testemunhar a potência que o império romano teve outrora. Esta última tinha grande importância na época, e no século I deu-se a construção de um imenso aqueduto para abastecê-la, tal qual Roma. Vale lembrar que Nîmes também conta com grandes monumentos romanos, sendo que sua arena - o coliseu provençal - é a mais preservada da Europa, e utilizada até hoje como palco de eventos e reconstituições de momentos históricos do período romano, como os Jogos Romanos (leia mais neste post).

15/09/2014

Um jeito diferente de conhecer Marselha


Há tempos ensaio uma ida à Marseille especialmente pra correr na beira-mar da cidade mais antiga da França, e poder contemplar durante o percurso o azul turqueza das águas límpidas do mediterrâneo, emolduradas pelas calanques de um lado e pelas ilhas do Frioul com o Château d'If de outro. Eu adoro correr, e por mais estranho que possa parecer, adoro visitar cidades correndo, como fiz em Lyon em dezembro passado.

11/09/2014

Gallerias dell'Academia e degli Uffizi em Florença


Várias pessoas proferiram a mesma frase quando anunciei os planos de visitar Florença pela primeira vez: a cidade é um museu a céu aberto. A frase serviu pra apaziguar meu espírito ansioso de quem deve ver o máximo possível num curto espaço de tempo, e me introduziu ao maravilhoso conceito de slow travel: reduzir o ritmo frenético de visitas e priorizar atrações. Resolvi não fazer uma lista exaustiva de passeios em Florença, o que veio a calhar depois de três dias de trilhas pelas montanhas em Cinque Terre. Além disso, meu primeiro encontro com Florença tinha sido tão mágico que não quis estragar o laço de encantamento que tinha tecido na véspera de adentrar os muros do centro histórico da principal cidade toscana.