30 de dez de 2016

Retrospectiva 2016



Paris, março de 2016
Estava revendo as fotos pra esta retrospectiva e finalmente não tenho do que reclamar: 2016 foi um ano sensacional em termos de passeios, viagens e companhia de família em casa. Durante praticamente todos os meses do ano estivemos em algum lugar diferente, e quase sempre com nossos dois companheirinhos queridos: Luna e Victor.

28 de dez de 2016

Noëls Insolites: festival de Natal em Carpentras

A árvore de natal na frente do Palácio de Justiça de Carpentras, antigo palácio episcopal que abrigou o papado antes da instalação em Avignon

A época de Natal na Europa pra mim é sinônimo de friozinho, vinho quente e castanha portuguesa torrada, degustada quentinha na rua pra esquentar as mãos, enquanto caminho pelos chalés da feira natalina observando os produtos expostos, alguns típicos da época, outros  nem tanto, esperando as luzes enfeitarem a cidade antes de voltar pro aconchego de casa e passar tempo com a família. Mas, se nessa equação eu quisesse incluir também flanar por ruelas charmosas seguindo trupes artísticas e esquecer do frio enquanto um mímico arranca risadas de uma plateia de todas as idades instalada aos pés das escadarias de uma catedral do século XV, no coração do Condado Venaissino que outrora abrigou os papas? Vem comigo que vou contar como é deliciosamente possível degustar as delícias natalinas e assistir às atrações do belo festival que leva a magia de natal para além das salas das casas e ganha as ruas provençais de Carpentras.

19 de dez de 2016

Viajar sem despachar com bebê


Toda nossa bagagem quando viajamos de avião

Como continuar viajando sem despachar depois da chegada de um bebê? No mês de maio embarcamos pela primeira vez com o Victor pro Brasil, e essa ocasião foi também seu "batismo aéreo", sua primeira viagem de avião. Fomos passar três semanas e apresentar o pequeno pra familia - até então, apenas os avós paternos e avó materna conheciam o pequetito, além de uma tia e prima minha que moram na Suíça, e um primo do Bernardo que veio nos visitar com a família. Essa foi nossa terceira viagem com ele, e pela segunda vez viajamos leve, sem despachar bagagem - achei que seria missão impossível depois da chegada do nosso pequetito, mas o exercício acabou se revelando um desafio interessante e totalmente possível. 

10 de dez de 2016

Nosso roteiro pela Normandia com bebê e cachorro


Catedral de Rouen

Essa foi nossa segunda viagem com o Victor (a primeira foi durante o natal, quando fomos pra Suíça, o roteiro está neste post), mas foi a primeira vez que viajamos com ele praticamente o tempo todo de transporte público (só alugamos carro por dois dias) e que nos hospedamos em hoteis com ele e a Luna, e foi uma experiência muito interessante, apesar de cansativa, não vou mentir. Eu e Bernardo viajamos leve há mais de três anos, ou seja, uma mochila de tamanho que vai na cabine de avião pra cada um, isso dependendo do tempo da viagem, porque podemos levar uma mochila pros dois. O desafio com a chegada do Victor é manter esse estilo de viagem, e sim, é possível.

1 de nov de 2016

Sicília, viagem do primeiro aniversário do Victor

Junte num só lugar mar de azul profundo e de águas calmas, cristalinas e mornas, sol praticamente todos os dias, vento morno no rosto, paisagens lindas de ponta a ponta, sorrisos em profusão, carinho, cordialidade e receptividade de pessoas conhecidas e desconhecidas. Deixe pra trás o cansaço, as preocupações, os prazos e tudo que atrapalha o sono e faz franzir a testa. Coloque na bagagem muito amor, disponibilidade e vontade de aprender, reserve um espaço pra novidade que vai voltar, talvez em pequena dose de excesso de bagagem. Abra o mapa e deixe o coração escolher o destino: pra nós, o coração apontou pra Sicília, que reuniu todos os quesitos acima e nos recebeu no começo de setembro pra viagem em comemoração do primeiro ano do Vic.

Cala Rossa, Favignana

12 de ago de 2016

Aix-en-Provence: Caumont Centre d'Art

Arte é um dos pontos fortes de Aix-en-Provence. A cidade conta um grande número de galerias destinadas a valorizar os artistas da região, além do Museu Granet que tem um belo acervo, a Fundação Vasarely com as obras de arte cinética, e em maio de 2015 ganhou um novo centro de arte, que ocupa um belo casarão do século XVIII no bairro Mazarin: o hôtel de Caumont. No primeiro ano de funcionamento, o Caumont Centre d'Art organizou uma exposição com obras do artista Canaletto, e neste segundo ano a exposição reúne trabalhos do inglês Turner, e a curadoria deu ênfase à maneira como o artista trabalhou as cores. A exposição pode ser visitada até 18 de setembro, e quem estiver na cidade até então, recomendo a visita ao centro. Não tive oportunidade de visitar a exposição de Canaleto ano passado, mas este ano aproveitei a vinda da minha cunhada e fomos juntas à exposição de Turner, que foi emocionante.




21 de jun de 2016

Cinco passeios bate-volta de verão saindo de Aix-en-Provence

Aix-en-Provence é escolhida como cidade base por muitos viajantes que pretende explorar a região da Provença, e os motivos são vários, sendo a localização geográfica o grande ponto forte pra essa escolha, na minha opinião, e foi justamente por esse motivo que optamos por morar na cidade quando nos mudamos pra cá, há mais de seis anos. O fácil acesso às autoestradas que ligam à Itália e Espanha e também aos Alpes possibilitam pequenos bate e volta de um dia; a universidade que tem um grande campus na cidade, as opções de entretenimento e cultura, vida noturna bem animada e boas opções de restaurantes, são fatores contaram muito pra nossa escolha, e também influenciam a escolha dos viajantes, além dos atrativos da própria cidade. Vou listar cinco destinos de passeio no estilo bate e volta saindo de Aix-en-Provence pra quem quer se refrescar durante o verão.


7 de mai de 2016

Restaurante em Florença: Il Santo Bevitore


Geralmente durante nossas viagens não nos preocupamos muito em pesquisar restaurantes, o que não significa que passemos fome ou que vivemos de fast food, ao contrário! Gostamos de ir ao supermercado, comprar alguns produtos locais e preparar nossas refeições, em grande parte piqueniques, pois não precisamos necessariamente dispor de uma cozinha pra preparar uma salada, picar frutas ou fazer um sanduiche. Mas uma viagem à Itália, o país do slow food, sempre pede refeições em restaurante, e por vezes tivemos gratas surpresas escolhendo o endereço do jantar nos arredores do hotel.