24 de jul de 2015

Caminho das pedras pro Parque Nacional das Calanques

A praia na calanque d'en vau vista do mediterrâneo. A vista do barco é um pouco mais distante

Quando chegamos na França, no comecinho da primavera de 2010, um dos primeiros passeios que fizemos foi em Cassis, com direito pequena caminhada na Presqu'île, de onde vimos pela primeira vez a calanque de Port-Miou com seus inúmeros barquinhos aportados, e fizemos a subida pela Route des Crêtes ao imponente Cap Canaille, um paredão de 399 metros que estende seus tons de ocre sobre o azul intenso do mediterrâneo. Inútil dizer que me apaixonei perdidamente pela cidade e pela paisagem estonteante que a cerca, incluindo os vinhedos cultivados em terraços aos pés do Cap Canaille, produzindo um dos vinhos mais perfumados da região. Desde então Cassis é destino certo pra quem vem nos visitar, seja no inverno ou no verão, e o passeio pelas calanques virou rotina aqui em casa. Em 2012 foi criado o Parque Nacional das Calanques, abrangendo 8500 hectares terrestres e 43500 hectares marinhos, e o acesso ganhou regulamentação especial em função dos riscos de incêndio durante o período estival, época mais procurada pelos visitantes que sonham em explorar a paisagem paradisíaca de um dos sítios mais belos da França. Nesse post fiz uma introdução ao passeio no parque, e desta vez mostro o caminho das pedras pelas trilhas que já percorremos por lá.

19 de jul de 2015

10 coisas sobre mim

Cof, cof, cof... Hora de tirar a poeira do blog, ainda tem alguém por aí? Resolvi resgatar a escrita lembrando da vocação inicial do blog, que nasceu em primeiro lugar como um diário virtual, ou seja, um meio bem pessoal de falar sobre assuntos diversos da minha vida deste lado do atlântico, e que as dicas de viagem vieram pouco depois. Por isso, resolvi escrever este post com algumas curiosidades bem pessoais que talvez você que me lê há tempos ou que chegou agora não saiba - e que talvez não vá fazer diferença, mas né, como é pessoal quem escolhe o assunto é esta que vos tecla. Então vamos à listinha:

Nós 4 no Plateau de Valensole, 21 de junho de 2015: em setembro a família ganha nov@ membr@!


22 de mai de 2015

Restaurantes testados e aprovados em Aix-en-Provence

Place des Cardeurs, endereço de muitos dos restaurantes e alguns bares de Aix-en-Provence

Pra muitos, uma viagem à França é sinônimo de boas experiências gastronômicas, e não sem razão. A culinária francesa é famosa mundo afora e os franceses tem grande orgulho desse patrimônio, e tanto que a refeição gastronômica francesa foi inscrita na lista de Patrimônio Imaterial da Unesco em 2010. Obviamente que o ritual não é algo praticável no dia a dia dos franceses, mas em ocasiões especiais. Há tempos que devo uma listinha de restaurantes em Aix-en-Provence e vou dizer que não tem sido tarefa fácil por alguns motivos:

13 de mai de 2015

Nova Iorque: primeiras impressões


Apesar de ter trabalhado durante 6 anos como professora de inglês em uma grande rede de escolas em Belo Horizonte, essa foi minha primeira viagem aos Estados Unidos. Nunca fiz intercâmbio, nunca sonhei com a dobradinha Disney + Nova Iorque na época nos meus 15 anos - nem baile de debutante eu quis, fiz uma festinha no quintal e fui feliz dançando valsa vestida de preto com minha mãe. Meu sonho de viagem de 15 anos sempre foi Paris, sonho que realizei aos 22 anos, e esperei 10 anos pra pisar no país que ocupava até então o segundo lugar na minha lista de países pra conhecer: a Rússia. E nos últimos anos os EUA acabaram por entrar na listinha de países pra visitar por conta de seus parques nacionais. Ora, então por que cargas d'água fui eu passar uma semana de férias na selva de pedra que é Nova Iorque ao invés de ir pro meio do país desbravar parques?

25 de mar de 2015

Cinco primaveras na Provença


E lá se vão cinco anos que desembarcamos por aqui. Chegamos numa semana chuvosa de inicio de primavera, e foi debaixo de chuva que vi pela primeira vez a montanha Sainte Victoire, a fonte da Rotonde, e me encantei com o charme de Aix-en-Provence à primeira vista. Foi debaixo de chuva também que escolhemos onde iríamos morar, nosso carro e abrimos conta no banco, tudo muito rápido porque a pessoa responsável por nosso relocação não disponibilizou muito tempo pra nos acolher e nos apressou em tudo. Em compensação, foi no mesmo dia chuvoso que tive minha primeira experiência num restaurante francês, que conheci a amiga que dias depois me acompanharia nas infinitas idas à lojas pra escolher moveis, à prefeitura pra resolver os pepinos burocráticos e servir de intérprete, pois chegara meses antes de mim e já falava bem o francês, que no meu caso se limitava ao bonjour, merci, au revoir.

4 de mar de 2015

Pequeno guia de sobrevivência em restaurantes franceses

Uma das advertências que Bernardo me fez tão logo nos instalamos em terras francesas foi a seguinte: fazer um pedido em restaurante é garantia de surpresas. E não tardei a verificar seu aviso: logo no primeiro dia aqui, na hora do almoço que tivemos em um restaurante, o desafio começou com a entrega do menu: pensei que tivesse recebido uma cópia dos dizeres do Código de Hammurabi (um dos mais antigos registros escritos de uma lei, que data de quase 2 mil anos antes de Cristo, e que pode ser visto no museu do Louvre, na parte da Mesopotâmia).

Place des Troix Ormeaux, Aix-en-Provence

1 de jan de 2015

Retrospectiva 2014

O ano de 2014 foi pouco movimentado aqui no blog em relação a 2013, foram publicados 55 posts, contra 64 no ano passado, o que não significa que viajamos pouco por aqui, ao contrário. Em contrapartida, batemos recordes de audiência: foram 107.542 visitantes ao longo do ano, sendo 70.204 visitantes únicos, e 212.771 visualizações de página. Merci, merci e merci a todos que passaram por aqui, que chegaram pela primeira vez ao blog ou que já são habitués e sempre marcam presença, mesmo sem deixar comentários. 

Começamos o ano fazendo dois passeios muito especiais: passamos dois dias em Milão em janeiro, e no mesmo mês aproveitamos as pistas da estação de Serre Chevalier, que fica numa região termal dos Alpes, cheia de atrações deliciosas pós-esqui. Essa viagem foi legal porque marcou minha primeira descida numa pista vermelha, e a primeira vez que consegui acompanhar Bernardo na montanha. 


15 de dez de 2014

Preparando um almoço provençal

Ervas da Provença, azeitonas, berinjelas, queijos de cabra, saladas regadas de azeite, legumes ensolarados, as refeições provençais são uma deliciosa experiência pra nossas papilas, mas também estimulam olfato e visão por seus aromas e cores marcantes. Tive a oportunidade de experimentar novamente os serviços propostos pelo Gilles, do Provence Gourmet, que encontrei numa primeira ocasião pra aprender a cozinhar a bouillabaisse, prato típico marselhês, num encontro agradável e convivial.

Feira da praça Richelme, Aix-en-Provence