26 de dez de 2010

Primeiro Natal na França


A família chegou uma semana antes do Natal; vieram minha mãe, meu irmão e o irmão do Bernardo e chegaram no fim de tarde de um sábado, depois de uma viagem longa e cansativa, mas sem turbulências. Sogro e sogra não puderam vir dessa vez, mas não tardarão a nos visitar, e também vão ser recebidos por Luna Maria e com um jantarzinho bem apetitoso pra descansar da viagem. No caso da família, um fondue de queijo os aguardava, depois de um banho bem quente pra relaxar o corpo das dimensões reduzidas da cabine do avião.

Domingo foi dia de acordar tarde, começar a se acostumar com fuso horário e passear pelo centro de Aix pra ver o Marché de Noël e a decoração natalina da cidade, que ficou linda! O centro estava bastante movimentado apesar do frio e não só por conta de algumas lojas estarem abertas no domingo que antecedeu o Natal, mas também pela feira de Natal da Cours Mirabeau e pelos brinquedos que foram instalados perto da Rotonde e que atraem crianças aos montes.


Segunda foi dia de ir ao ortopedista de manhã e receber boas notícias: felizmente não preciso de cirurgia pro joelho lesionado no ski e já posso voltar às pedaladas, caminhadas e os passeios podem ser feitos sem medo. O médico prescreveu 15 sessões de fisioterapia, além de deixar o retorno marcado pra inîcio de fevereiro, mas não descartou meu retorno ao ski ainda esta temporada (acho que ele teve compaixão quando meus olhos enxeram de lágrimas depois que ele anunciou a extensão da lesão: menisco e cruzado quase rompidos). Em fevereiro volto pra saber quando posso voltar à correr e à esquiar. 


À tarde foi a vez de sair às compras: mãe e cunhado precisavam de câmeras fotográficas, e fomos resolver essa primeira pendência. Depois dos brinquedinhos comprados, crianças felizes e realizadas, mais passeios pelo centro de Aix e finalmente vi a iluminação de Natal da cidade. Em tempo: estava de castigo em casa depois do tombo do ski, sem poder fazer meus passeios pelo centro, nem as compras dos presentes eu tinha feito ainda, quem dirá ver a decoração e as luzes natalinas da cidade... 


Terça foi o dia de apresentar a família ao maior centro comercial da França: Plan de Campagne, com chuva, na semana do Natal, mas incrivelmente mais vazio que o Carrefour que encaramos antes de voltar pra casa. Compramos os acessórios de proteção e transporte das câmeras, almoçamos no KFC (claro que os meninos ficaram super felizes) e partimos pra segunda etapa do nosso dia de compras: Ikea e centro comercial de Vitrolles.

No Ikea sempre me divirto, confesso que mesmo não tendo mais móveis pra comprar adoro passear pela loja. Acabei não resistindo às velas cheirosas e ao espremedor de laranjas, item do qual só senti falta no dia que eles chegaram e precisei espremer as laranjas pro bolo na mão... Próxima parada foi o centro comercial de Vitrolles, onde compramos outros acessórios pras câmeras e os ingredientes pro jantar.


Quarta foi dia de voltar ao centro de Vitrolles e trocar alguns dos itens que vieram com defeito. Depois de resolver essas pendências, seguimos pra Bouc Bel Air, mais especificamente pra Decathlon de lá, a família precisava de algumas luvas, meias e blusas quentes pra encarar as baixas temperaturas pela frente, mas roupas que podem ser igualmente aproveitadas no Brasil, sem virarem elefantes brancos nos guarda-roupas tropicais... 

A maratona de compras se encerrou na quinta, dia em que fomos providenciar os itens pra ceia de Natal do dia seguinte, e depois disso (e da compra do famigerado celular do meu irmão) fomos pra casa, não iríamos passear debaixo da chuva que caia em Aix e que caiu durante os dias precedentes também, o que nos levou direito aos centros de compras fechados (e lotados) da região. Sexta feira o mistral levaria a chuva embora e baixaria o mercúrio pras temperaturas condizentes com a recém-chegada estação gelada.


Desembarcamos em uma Marseille estranhamente vazia na véspera do Natal, uma cidade bem diferente da movimentada Marseille que estamos acostumados a ver de vez em quando, e a família finalmente conheceu a fúria e força do mistral, que soprava impetuoso naquela sexta feira. Demos uma volta no Vieux Port, almoçamos por ali mesmo e depois seguimos pra visitar a Notre Dame de la Garde, igreja que nem eu conhecia ainda - é o problema de a cidade estar pertinho, sempre teremos ocasião de visitar, mas a visita nunca acontece. 

Lá do alto de sua colina, a imagem de Nossa Senhora resiste ao bravo vento, mas os poucos visitantes do lugar não hesitavam em comentar a fúria do mistral e de perder cachecóis displicentemente colocados em torno do pescoço (felizmente o senhor conseguiu recuperar seu cachecol). Marseille vista da colina da igreja é ainda mais bonita, e o mediterrâneo agitado emoldurava a bela paisagem daquela tarde gelada. Depois da visita rápida à cidade mais antiga da França voltamos pra casa, afinal a ceia de Natal não poderia se preparar sozinha!

O menu foi escolhido quando a família ainda estava no Brasil. Entrada: verrine de pepino, tomate, salmão defumado e molho branco com alho e cebolinha, além de cookies de tomates secos, parmesão e chorizo. O prato principal fugiu bem da tradição do peru e chester: peito de pato gordo ao molho de manga, acompanhado de aligot, que é um purê de batatas com queijo. E a sobremesa, fondue de chocolate, pra estrear o presente que ganhamos de mamis, nossa panela de fondue.


Bernardo foi o responsável pela compra dos presentes, já que ficaria difícil a tarefa pra eu realizar acompanhada dos presenteados. Ele também se encarregou de, durante a ceia, arrumar os presentes na varanda, ao pé do nosso pinheirinho de natal, enquanto a família se distraía com a preparação do prato principal. Passar o primeiro Natal na nossa casinha foi maravilhoso, principalmente porque estávamos acompanhados de parte da família, o que sempre nos aquece o coração e faz a gente perceber o sentido de uma palavra constantemente soprada ao vento: felicidade!


Pra completar o cenário, alguns floquinhos de neve vieram nos presentear no dia de natal e, enquanto a família passeava com Bernardo na montanha Sainte Victoire e via a neve e a paisagem maravilhosa do lugar, eu fiquei em casa, por causa do joelho, e sozinha, sentei na varanda pra contemplar o presente branco dos céus e agradecer por um dos melhores natais que já tive até hoje...



2 comentários:

  1. Que lindo seu post de natal amiga!!!
    Fico feliz do primeiro natal na casinha francesa de vocês ter sido especial e inesquecível.
    E que venha o ano novo!!!
    Beijos e saudades!!!

    ResponderExcluir
  2. Escrevendo de uma Paris gélida so pra dizer que adorei o seu Natal!! Logo estaremos todos juntos la em casa colocando os babados em dia. Beijo em todo mundo!!!!

    ResponderExcluir

Tem dúvidas, sugestões ou informações complementares? Este é seu espaço! Sua dúvida pode ser a de outros, e suas sugestões certamente ajudarão outros leitores!
Comentários sem relação ao post, links de propaganda ou conteúdo ofensivos não serão publicados.