10 de nov de 2011

Aventuras transalpinas

E depois de um longo período de silêncio, não por falta de assunto, mas por falta de tempo mesmo, que ficou cada vez mais escasso depois do início das minhas aulas, retomo meus escritos (devidamente revisados pra evitar assassinato à língua pátria), pra contar um pouco das nossas últimas peripécias. Depois que voltamos de uma viagem relâmpago de 3 semanas no Brasil, onde o inverno ficou só no nome da estação mesmo, retomamos nossos programas de verão e nos lançamos em outras experiências também.


Além de algumas idas às praias aqui por perto, esse ano fizemos passeio de caiaque e Luna Maria acrescentou à sua lista mais um meio de transporte! Alguns passeios de bicicleta, skate pro Bernardo e patins pra mim, encerramos o verão com um passeio de veleiro meditêrraneo, e constatei que prefiro meus pés bem sequinhos em terra firme, apesar de o passeio ter sido delicioso, a inclinação do barco me provocou um certo pânico (mesmo sabendo nadar, e vendo que tava indo tudo bem, só conseguia imaginar o barco virando...). E eis que, quando o verão resolveu prolongar suas temperaturas e invadir o tempo do outono, este último não tardou a se manifestar, e finalmente chegou a estação de que mais gosto.



Mas como tudo na vida, nem só de folhas coloridas e tons amarelo, laranja e vermelho é feito o outono. De vez em quando a chuva tem que cair por essas áridas terras provençais, e à partir da segunda quinzena de outubro o guarda-chuvas vira acessório indispensável. E foi neste contexto chuvoso que fomos dar um pulinho à terra do macarrão e da Fiat, visitar mais família -  muito bom ter família globalizada - e buscar um casal de prata que vale ouro!


Savines-le-lac
Torino fica a cerca de 350km de Aix passando pelos Alpes, caminho que fizemos, ou 450km passando pelo litoral da Côte d'Azur, e o tempo estimado de viagem é o mesmo, mas preferimos o caminho dos Alpes pra apreciar a paisagem de outono que fica mais evidente à medida que nos distanciamos da Provence. Em uma hora e meia de viagem a paisagem deixa de ser composta unicamente pelos tons de verde escuro e amarelado das árvores e ganha tons alaranjados e avermelhados que colorem a paisagem e nos passam a ilusão de calor, mas na verdade deve ser um sinal que a natureza nos dá pra indicar que o calor foi embora...

Briançon

Fortificações de Vauban, Briançon

Depois de zigue-zaguear pelos Alpes passando pela linda cidade de Briançon (me deu vontade de ficar em Serre Chevalier pra esperar a temporada de ski!), onde ficam duas das fortificações de Vauban, inscritas no patrimônio da UNESCO e  que levam o nome do engenheiro encarregado dos projetos de defesa das fronteiras francesas, o céu azul ficou do lado francês da montanha e entramos numa Itália nublada e bem fria, e como tudo que sobe tem que descer, zigue-zagueamos Alpes abaixo (isso é mais divertido no ski), Luna deu algumas manifestações de insatisfação com o tempo da viagem e o silêncio no carro - ela não passa mal, mas precisamos conversar de vez em quando senão ela dá uns chorinhos, alguns pra quebrar o silêncio, outros do tipo "tá chegando?" - e no início da noite chegamos à Torino.



Um comentário:

  1. Olá, Natália! estou adorando seu blog, eu pretendo fazer um curso intensivo de francês aí, e pesquisando seu blog apareceu. Cada dia fico mais ansiosa pra ir logo, tenho um filhinho de 7 meses. Antes de ler seu blog pensei em deixar ele no Brasil, mas agora fico imaginando como ele iria reagir em cada passeio!! kkkkk

    ResponderExcluir

Tem dúvidas, sugestões ou informações complementares? Este é seu espaço! Sua dúvida pode ser a de outros, e suas sugestões certamente ajudarão outros leitores!
Comentários sem relação ao post, links de propaganda ou conteúdo ofensivos não serão publicados.