5 coisas pra fazer em Aix-en-Provence

Aix-en-Provence tem uma localização geográfica privilegiada na região provençal: o aeroporto internacional Marseille Provence fica a 25km do centro da cidade, a estação TGV onde chegam os trens de grande velocidade vindos de Paris fica a 18km do centro, e ambos são interligados à cidade por ônibus com saídas frequentes. Além disso, a autoestrada que chega da Espanha e Itália passa na cidade, assim como o caminho pros Alpes também começa por aqui.que fazer em aix-en-provence

Mas Aix-en-Provence tem outros atrativos, que fazem dela muito mais que uma excelente base para conhecer a região da Provença. Aqui vai minha listinha do que fazer em Aix-en-Provence pra quem tem pouco tempo pra conhecer essa cidade que conquistou meu coração e que chamo de “casa” desde 2010.

Fazer compras na feira

Mas nada daquelas comprinhas de souvenirs, compras mesmo, queijo, frutas, biscoitos, um salame, castanhas, frutas secas, azeitonas. Quando viajo, sempre procuro incluir uma visita a um supermercado no destino, pra comprar guloseimas me sentir meio local. A verdade é que gosto muito de cozinhar, e tento escolher opções de hospedagem com um canto cozinha, mas nem sempre é possível. Mesmo assim, fazemos questão de comprar alguns produtinhos básicos pro aperitivo nosso de cada noite, um lanche pro meio do dia e, agora que temos o bebê, quebra um galho danado, principalmente no quesito alimentos frescos. Por isso acho que vale incluir um passeio à feira da cidade, que acontece todas as manhãs na praça Richelme, e às terças, quintas e sábados pela manhã temos também a feira de roupas e artesanato no Cours Mirabeau, frutas e legumes também no entorno da Rotonde, além de flores na praça da prefeitura.

Nela você encontra praticamente tudo pra um bom aperitivo provençal, desde azeitonas, queijos da região (os de cabra são bem típicos daqui), tapenade (purê de azeitonas) e outros patêzinhos deliciosos, frutas secas e castanhas, salames, passando pelas frutas frescas e legumes, e também os peixes e frutos do mar. Além disso também tem doces (o calisson é a especialidade de Aix-en-Provence) e biscoitos artesanais. Quem não tem a opção da cozinha na hospedagem pode comprar um prato pronto numa das várias barraquinhas que (atualmente e pelos próximos 3 anos) ficam perto da Rotonde : frango, porco ou coelho assados com batatas, paella… Só não saia da feira de mãos abanando!

 

Para saber mais sobre as feiras em Aix-en-Provence:

 

Flanar pelas ruas do centro

Flanar é aquele perambular despretensioso, sabe? Na verdade, é um verbo que adoro e que carrega em si o lado da “arte de viver” francesa. Perder-se entre as sinuosas ruelas medievais do centro histórico é um exercício que me agrada muito, e a cada nova ida ao cento da cidade busco explorar novos cantinhos. O exercício de percorrer caminhos diferentes sempre revela belas surpresas.
Também gosto de vasculhar as fachadas dos edifícios em busca de detalhes que porventura tenham passado despercebidos em outras ocasiões. Foi assim que me vi diante do edifício onde Paul Cézanne faleceu, ou diante do primeiro edifício do Cours Mirabeau, a avenida mais bonita da cidade.
Nesses passeios em que nos deixamos guiar pelas ruas da cidade, as decobertas e surpresas são bastante agradáveis, e não ter uma agenda de visitas a cumprir nos permite explorar com outros olhos os lugares visitados.
Centro de Aix-en-Provence
Quer fazer um passeio fotográfico no centro histórico e conhecer um pouco mais da história da antiga capital da Provença e ainda ter fotos profissionais do passeio? Envie um email para fotografaprovence@gmail.com e agende seu passeio fotográfico!
 

 

Outra sugestão é passear pelas praças e parques da cidade, leia mais nos posts:

Seguir os passos de Cézanne

O pintor impressionista é ilustre filho da cidade, com direito à estátua na porta de entrada do centro, a praça da Rotonde. Representado da forma como mais frequentemente teria sido visto, com material de pintura nas costas, caminhando em direção da montanha Sainte Victoire,motivo frequente em seus quadros. Seus principais itinerários são sinalizados com plaquinhas no chão com a letra C, e que nos levam em direção do seu atelier, da estrada que leva à montanha, da casa onde nasceu…
Vale passar no Office du Tourisme e pegar o mapinha com os itinerários do artista, e se deixar guiar por este ilustre aixois, sonhador inveterado, seja pra tomar uma taça de vinho do bistrot Les deux garçons (mas vá comer em outro lugar, dou dicas neste post), no Cours Mirabeau, seja pra caminhar em direção de seu atelier, da igreja Saint Jean de Malte ou da montanha Sainte Victoire, siga os passos de Cézanne. 
 

Visitar o claustro mais bonito da Provença

Ok, vou confessar, este item é muito tendencioso, pois sou uma apaixonada por claustros. Mas não é minha paixão por eles nem o fato de morar em Aix há tantos anos que fez o claustro da catedral ganhar esse título – não sou pretensiosa, né, não fui eu quem escolheu o claustro do catedral Saint Sauveur como o mais bonito da Provença. Ainda faltam muitos claustros a visitar na região, mas posso dizer que certamente, este vale a visita: pequenino porém acolhedor, os quatro evangelistas estão representados ali. Algumas colunas estão intactas, enquanto outras desfiguradas em tempos belicosos. Algunss restauros foram feitos em seguida, mas outros permaneceram sem restauro. O charmoso claustro pode ser visitado diariamente em horários informados dentro da catedral, e a visita é guiada e gratuita, com explicações em francês. Mesmo sem entender uma palavra, recomendo por ser uma oportunidade única de apreciar a beleza e tranquilidade do recinto.

Happy hour no centro

Depois de um dia de muito passeio, de estudos ou trabalho é importante fazer uma pausa antes de nos recolhermos todos, e o happy hour foi muito bem recebido e adotado por aqui. Os franceses têm o hábito do apéro antes do jantar,  o aperitivo em bom português, e que nada mais é um drink pra abrir o apetite – no verão, pode ser vinho rosé, mas temos cada vez mais bares com boas cervejas pela cidade.  

Praticamente todos os bares  e alguns restaurantes oferecem algum agrado nesse horário: seja dose dupla de bebida, seja uma porção de tapas (petiscos) como acompanhamento. Geralmente acontece entre 18h e 20h, e se você não bebe, existem opções não alcóolicas no cardápio que vão muito além dos refrigerantes e sucos (que em geral nos bares não são frescos, mas industrializados). Algumas praças no centro tem boas opções de bares pra happy hour, além das opções do Cours Mirabeau, mas é na Rue Verrerie, na Place Cardeurs e na Place de la Mairie que a animação acontece noite adentro (até meia noite na Place Cardeurs, e 2h da manhã nos outros lugares, quando os bares e pubs fecham, mas a noite continua nas baladas). Mas como happy hour não é noitada, vale escolher um lugar agradável do centro, puxar uma cadeirinha e pedir uma bebida que agrade, antes de encerrar a noite!
As baladas mais frequentadas do centro são Scat e Murano na rue Verrerie, Mistral Club na rue Frédéric Mistral e IPN no Cours Sextius.

Deixe uma resposta