Que fazer em Avignon

postado em: França, Provença, Vaucluse | 13

Minha primeira ida à Avignon aconteceu no verão de 2010 e por algum motivo desconhecido eu ainda não tinha escrito nada sobre a cidade dos papas com minhas dicas do que fazer em Avignon aqui no blog. Avignon fica à cerca de 90 km de distância de Aix-en-Provence, às margens do rio Rhône (ou Ródano, em português, pra ajudar quem é forte em geografia européia, o que não é meu caso) e é a cidade mais importante do departamento de Vaucluse – como a capital de um estado brasileiro.

Para quem pretende conhecer a região da Provence vindo de Paris, Avignon é a primeira parada do trem na região, a seguinte é Aix-en-Provence e por fim o trem chega ao destino final da linha, em Marseille. Acho que Avignon é uma boa base para conhecer a região da Provence, assim como Aix-en-Provence. Vou contar um pouco da história da cidade que tem seu centro histórico e monumentos inscritos no patrimônio da humanidade peal Unesco.

Avignon: Patrimônio da Unesco

O nome da cidade data dos anos 500 a.C. e tem dois significados possíveis: “cidade do vento violento” ou “senhor do rio”. Acho que os dois são pertinentes, já que o Rhône é um rio importante da região provençal mas também é o corredor do mistral, o vento violento, frio e seco que desce dos Alpes e assola a região de tempos em tempos, e que por suas características contribue pra produção de vinhos Côte do Rhône e Châteauneuf-du-Pape.

Muralha que cerca o centro histórico de Avignon

 

O centro histórico de Avignon é cercado por muralhas que tinham por função proteger a cidade, uma das últimas a integrar o território francês. As muralhas são extremamente bem preservadas e delimitam também a Universidade de Avignon, além de ser um dos aspectos de patrimônio mais marcantes da cidade. O ideal é evitar circular de carro no interior das muralhas, pois o trânsito por vezes é limitado em determinados pontos, e circular na cidade é um grande exercício de paciência.

Igreja Notre Dame des Doms (esquerda) e Palácio dos Papas (direita)

Palácio dos Papas em Avignon

Uma vez na cidade dos papas, fomos visitar o palácio que abrigou o pontificado por alguns anos, iniciando em 1309 quando o papa Clemente V, fugindo da insegurança que então imperava em Roma, decidiu transferir o papado pra Avignon. O palácio foi ocupado pelos pontífices até 1414, mas de 1376 até aquele ano o papado foi retomado em Roma por Gregório XI, enquanto Avignon testemunhava a ascensão de Clemente VII, o primeiro dos dois anti-papas, como ficaram conhecidos os papas que se opuseram ao retorno à Roma.

O palácio abriga poucos detalhes de ornamentação originais do período do pontificado, como os azulejos pintados à mão em motivos diversos de alguns cômodos onde não temos permissão de fotografar (o resto do lugar pode ser fotografado), além de afrescos que ornamentam as paredes do quarto do papa e cômodo adjacente. Hoje, graças à tecnologia que nos acompanha durante a visita, podemos ver a reconstituição da decoração das salas do palácio à partir de elementos pesquisados em afrescos originais e outros elementos de ornamentação que resistiram ao tempo e processos de degradação pelos quais o palácio passou.

 

Ponte Saint-Bénézet

Além do palácio um outro monumento imperdível é a ponte Saint-Bénézet que tem uma história interessante.  A primeira notícia que se tem de uma ponte no local remonta ao período romano, mas os vestígios não foram encontrados. Em 1177 Bénézet (ou Benedito de Avignon), um jovem pastor propõe ao bispo local a construção de uma ponte que fizesse a ligação entre as duas margens do Rhône, mas sua proposta foi vista com descrença pelo religioso, que mandou o jovem responder por suas ideias perante um juiz. Este, por sua vez, decidiu que se Bénézet conseguisse carregar uma enorme pedra que serviria para a construção da ponte até o local indicado ele seria então autorizado a dar prosseguimento ao seu projeto.
Reza a lenda que o jovem conseguiu realizar o feito e foi então autorizado a construir a ponte, arrecando uma boa soma para arcar com o projeto, que contava também com a construção de uma igreja, um cemitério e um hospital. Em 1186 a ponte já era utilizada, mas o hospital teve seu edifício destruído em 1398 e foi transferido pras proximidades.

A ponte foi assolada por um ataque do rei Louis VIII em 1226 durante o estado de sítio imposto por suas tropas à cidade, mas foi reconstruída em um nível mais elevado que a anterior e ganhou uma nova capela, construída acima da primeira que resistiu ao ataque. Mas o Rhône corre impetuoso e sua força por vezes infligiu estragos importantes à ponte, que demandava reparações constantes mas que foram abandonadas à partir de 1668 e aos poucos o rio levou alguns dos arcos, deixando a configuração que podemos visitar atualmente. O corpo de Bénézet foi transferido da capela na ponte em 1674 e, apesar do título, ele nunca chegou a ser canonizado.

Igreja Notre Dame des Doms e Jardim des Doms

Construídos ao lado do Palácio dos Papas estão a Igreja Notre Dame des Doms e o Jardim des Doms. Ambos foram erguidos sobre o rochedo de mesmo nome e dominam a paisagem quando chegamos de Avignon vindo de Aix-en-Provence ou Carpentras. Sob o rochedo fica um grande estacionamento que dá acesso praticamente às portas do Palácio, e a subida ao jardim também pode ser feita pela escadaria em zigue-zague construída junto ao rochedo.

Mas Avignon tem mais à nos proporcionar além do palácio e da ponte, como outros onze museus com entrada gratuita, a igreja Notre Dame des Doms, ao lado do palácio, e durante o natal pudemos visitar a feira natalina que é organizada na praça de l’Horloge na frente do Hôtel de Ville (prefeitura). A cidade também é palco do maior festival de teatro do mundo, que acontece no verão, no mês de julho, além de  outras peças que são apresentadas ao longo do ano, inclusive no inverno, sem esquecer de uma rica programação de concertos e óperas.

Torre Filipe, O Belo

A torre se encontra na cidade de Villeneuve-lès-Avignon, do outro lado do rio Rhône, mas é facilmente acessível a partir de Avignon. Era nela que se encontrava a outra extremidade da ponte de Avignon, que tinha 900 metros de extensão. A torre pode ser visitada e dela temos um belíssimo panorama de Avignon, do Mont Ventoux e das belezas que cercam a cidade.

Quando visitar Avignon

O mês de julho é o mês mais procurado por quem quer conhecer os campos de lavanda, mas o mês mais concorrido em Avignon por conta do festival de teatro que acontece na cidade. O Festival de Teatro de Avignon acontece desde 1947 na cidade e reúne artistas de diferentes países em torno do teatro, dança, artes plásticas e música. A cidade se tranforma em palco, e inclusive seu monumento mais imponente recebe apresentações e o público pode apreciar arte cercado pelos muros da história do Palácio Papal.

Os meses de julho e agosto são os mais frequentados, e o calor na cidade é bastante forte, mas a proximidade com o rio tem suas vantagens: o Rhône é um corredor de vento, e raramente Avignon fica sem brisa soprando. Nos demais meses do ano pode-se apreciar a cidade com a calma devida à um destino na Provence, e Avignon tem muitos atrativos a serem visitados, além de ser uma base interessante para visitar destinos próximos.

Visite a feira provençal de Isle-sur-la-Sorgue, uma das melhores da região e próxima de Avignon

Leia também: passeio de caiaque em Fontaine-de-Vaucluse

 

Onde ficar em Avignon

As opções de hospedagem em Avignon são muito numerosas, o que faz da cidade uma boa opção de base para visitar a região. O centro histórico é cercado pelas muralhas e tem acesso restrito, por isso vale avaliar a localização da hospedagem próxima às saídas e com disponibilidade de estacionamento, para evitar circular pelas ruelas do centro ou se ver bloqueado em ruas de acesso restrito.

Vale considerar a possibilidade de encontrar hospedagem em Villeneuve-lès-Avignon, na outra margem do rio Rhône, e deixar o carro nos parking relais, que são estacionamentos gratuitos com transporte público para o centro – em geral, opto pelo Parking Île Piot, próximo tanto de Villeneuve-lès-Avignon como do Palácio Papal e ponte Saint Bénézet.

Como chegar em Avignon

Avignon fica à 13km de Châteauneuf-du-Pape, 31km de Orange, onde tem um anfiteatro romano (ainda não visitado) e 45km de Nîmes, onde também tem um anfiteatro romano onde fomos assistir uma reconstituição de jogos romanos com lutas de gladiadores, assunto pra outro post!

De trem saindo de Paris: o trem que liga Paris ao sul sai da Gare de Lyon ou de Marne-la-Vallée (Chessy), a estação dos parques Disneyland. A viagem dura pouco menos de 3 horas, e da estação TGV de Avignon é possível ir ao centro de ônibus ou táxi.

Saindo de Aix-en-Provence: duas opções de trajeto de trem são possíveis, uma saindo da estação TGV, outra da estação central de Aix-en-Provence. Da estação TGV de Avignon até a estação TGV de Aix-en-Provence o tempo de viagem é de 18 minutos (ambas estações ficam fora do centro das cidades. Saiba mais sobre como ir da estação TGV até o centro de Aix-en-Provence). No fim, o tempo de viagem acaba sendo o mesmo, pois deve-se somar o tempo de trajeto do centro até a estação TGV de Aix-en-Provence.

De carro: A distância de Aix-en-Provence a Avignon é de cerca de 90km, e o tempo de viagem de carro  é de 45 minutos pela auto estrada. A saída Avignon centre ville é a melhor para quem pretende visitar o centro histórico da cidade, mas atualmente é preciso de munir de uma certa dose de paciência, pois a cidade está com obras de implantação do tram na periferia, o que impacta um pouco a circulação.

 

13 Responses

  1. lucia

    Olá! Ótimo o seu blog!Seria conveniente usar Avignon como base para bate e volta?

  2. Maria cristina

    Amei as suas dicas do que fazer em Avignon. Estive na cidade por um dia e não fiz nem metade das suas dicas! Creio que tenho que voltar! 😍

  3. Paula

    Tenho muita vontade de ir para Avignon, preciso conhecer a Provence melhor, né? Só conheço Marselha!

  4. Andrea

    Tenho em meus planos futuros fazer um roteiro por Provence, gostei da dica de usar a bela Avignon como base.

  5. Rui Barbosa Batista

    Desde criança que alimento uma invulgar curiosidade por Avignon. Creio, até, de ter sido por algum desenho animado 🙂 Imperdoável, mas ainda não conheço. E essa UNESCO parece ser mesmo maravilhosa…

  6. Angela C S Anna

    acho tao bonitinho o nome dessa cidade, mas nunca tinha visto as fotos, so visto no mapa. gostei e vou adicionar no meu roteiro, to querendo levar o jean pra conhecer mais da franca!

  7. Anna Luiza

    Adorei saber mais sobre Avignon. Suas informações são bem objetivas e práticas. Essa foto da ponte ficou espetacular. Animei pra conhecer, viu?

  8. Carla Mota

    Quando penso em Avignon penso nos templários e nos cruzados. Mas a cidade é muito mais do que isso. Que bonito.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.