Que fazer em San Gimignano em poucas horas

postado em: Europa, Itália, Toscana | 1

 

“Experimente o sorvete de gorgonzola”. Já sabia o que fazer em San Gimignano nas poucas horas que tivemos pra conhecer a cidade das várias torres medievais. A dica foi de uma amiga que tinha visitado a cidade poucos antes, e decidi inclui-la no roteiro quando fizemos nossa viagem pela Ligúria e Toscana. De fato, jamais pensaria em ir na cidade que oferece o melhor sorvete do mundo e pedir uma casquinha com bolas no sabor gorgonzola. Mas fiquei curiosa, e além da gula o fato de ser uma cidade medieval sempre é motivo pra incluirmos no roteiro.

A cidade foi nossa última parada da viagem de carro que fizemos pela Ligúria e Toscana, e acho que merece muito mais que as poucas horas que lá ficamos. Infelizmente esse era o tempo que dispunhamos, e tentamos nos despedir da região da melhor maneira possível: trazendo pra casa gosto de quero voltar. Mas nem só de sorvete foi feita essa parada na cidade, que tem muitos atrativos e no fim tivemos de selecionar dentre várias coisas que fazerm em San Gimignano pra não chegarmos muito tarde em casa.

Flanar pela cidade medieval

Esse é sempre meu item preferido durante viagens, um costume que adquiri com os franceses: andar sem compromisso. Uma ótima maneira de se deixar guiar pelas ruas da cidade e se permitir descobrir cantinhos interessantes e mirantes impressionantes, sem termos o olhar dirigido por uma série de afazeres que nos prendem a atenção no nosso cotidiano de não-férias. Nossa lista do que fazer em San Gimignano não era extensa, tampouco exaustiva – a boa e velha desculpa pra voltar, como se precisássemos dela. A intenção principal era descobrir a cidade medieval com suas numerosas torres, que eu tinha tanto contemplado neste post da Cynthia Campos durante o planejamento da viagem. Os inúmeros mirantes proporcionam um panorama a perder de vista da região, e vale subir as escadas da Rocca pra ter a vista mais bonita da cidade e da paisagem natural ao redor.

Museu da Tortura e da Pena de Morte

Quem diz Idade Média não pode ignorar o requinte de crueldade que permeava as relações de “justiça” da época. Assim como em Siena, San Gimignano tem um Museu da Tortura e da Pena de Morte com acervo variado de objetos usados para tais finalidades (Volterra, Lucca e Montepulciano também contam com seus museus da tortura). Longe de representações banhadas a sangue, a proposta dos museus toscanos que exibem acervo temático é justamente expor os objetos usados para tortura e execução ao longo de diferentes épocas, o que por si já faz correr um certo calafrio na espinha.

Eu preferi evitar a visita, tanto em Siena como e San Gimignano, mas Bernardo visitou ambos museus e registrou suas visitas com fotos. Contrariamente ao sentimento de repulsa ou à ideia de perversão ao mostrar tais artefatos que o museu possa suscitar, o objetivo é convidar o público à refletir sobre a prática da tortura, que continua a existir a despeito de estarmos no século XXI e termos tido acesso à tantas informações sobre o tema. E foi justamente por ter essa visão com relação ao acervo exposto que depois me arrependi de não ter visitado ao menos um dos museus pelos quais passamos.

Informações práticas:

Tarifa: 10€ (ambos museus da Tortura e da Pena de morte em San Gimignano) ou 7€ para um dos museus

Horário de funcionamento: 10h às 19h diariamente (no inverno aberto apenas aos sábados e domingos)

Experimentar o melhor sorvete do mundo

Vi pelo menos duas sorveterias na praça que exibiam orgulhosas um painel com os dizeres “melhor sorvete do mundo”, algo que dificulta um tanto a escolha. Mas em se tratando de sorvete italiano, o mais difícil é que sejam ruins, isso quando são sorvetes artesanais. Por isso, optei pela Gelatteria Dondoli, onde experimentei o inusitado sorvete de gorgonzola, acompanhado de sorvete de pêra, sugestão dada pela gentil atendente quando perguntei sobre um sabor que poderia combinar com o primeiro.

E o que achei? Lembro exatamente da maravilha que foi descobrir o sabor forte do sorvete de gorgonzola, depois a suavidade do sorvete de pêra, e a mistura dos dois é deliciosa! Joe Tribbiani bem que fez escola: comidas boas juntas só podem ter um resultado delicioso! Brincadeiras à parte, realmente gostei da mistura de sabores, e desde então incorporei um toque de geleia pra acompanhar o gorgonzola, fica delicioso num pão com um pouco de geleia de figo, recomendo!

Seguro de viagem é obrigatório em viagens à Europa! Faça aqui o seu! Use o código DESTINOPROVENCE5 e tenha desconto de 5%!

Para fazer quando voltar

Um grande arrependimento foi não ter me hospedado em San Gimignano. A cidade é um encanto de dia e sai de lá imaginando como teria sido percorrer as ruas do centro durante a noite e contemplar as torres e edifícios com iluminação que dá uma atmosfera bem diferente da diurna. Nossa hospedagem em Chianti foi maravilhosa, ficamos no Borgo Carpineto, um antigo convento do século XII e transformado em hospedagem que fica no meio das vinícolas da região, e a paisagem era simplesmente cinematográfica.

Além disso, também passamos uma noite super agradável em companhia dos outros hóspedes e dos proprietários do local, que prepararam uma refeição deliciosa e ainda apresentaram seus produtos: azeite e vinho. Éramos seis pessoas no jantar, Bernardo e eu éramos os únicos estrangeiros, e foi uma experiência muito legal. Falamos de viagens, e o casal que também estava hospedado lá nos disse que a região de onde são originários, a Umbria, é pouco conhecida e merece ser explorada!

Borgo Carpineto, nossa hospedagem entre Florença e Siena

Deixe uma resposta