Roteiro de três dias no sul da França: Drôme e Ardèche

postado em: Destinos França | 1

Sugestão de roteiro de três dias no sul da França: Ardèche e Drôme, que são dois departamentos que ficam relativamente próximos da Provença, e com belezas naturais que valem a pena visitar. A Drôme ter inclusive uma parte provençal, onde são cultivadas as famosas lavandas. Já a Ardèche tem um cânion muito bonito, que pode ser explorado em grande parte num passeio de caiaque. Os lugares estão pertinho da gente, ideal para uma escapada de carro*, e o roteiro foi pensado para que pudéssemos visitar vilarejos autênticos e aproveitar as belezas naturais da Ardèche.

Desta vez aproveitamos o feriado do 14 de julho, que convenientemente caiu numa sexta-feira, e planejei uma escapada de última hora pra um lugar que queria conhecer há muito tempo: Gorges de l’Ardèche. O lugar é famoso pelos passeios de caiaque numa paisagem maravilhosa traçada pelo sinuoso rio Ardèche, que esculpiu um caminho de serpente entre os montes de calcáreo, nos presenteando também com belíssimas grutas e cavernas. Minha intenção inicial era explorar um pouco de cada atração natural que a região oferece, e combinar as grutas e cavernas com banhos no rio, além de procurar alguns campos de lavanda pelo caminho, pois parte do departamente da Drôme ainda faz parte da Provença e também entra na rota da lavanda. Depois de algumas alterações de última hora no nosso programa inicial, acabamos organizando nosso passeio da forma que vou apresentar neste post (em seguida virão os posts sobre cada destino):

Mornas: fortaleza medieval no caminho

Sexta-feira: visita à fortaleza medieval de Mornas*, um vilarejo localizado na região do rio Rhône, poucos quilômetros ao norte da cidade de Orange, e que conta com uma localização estratégica para a defesa. Aprendemos muito sobre cada parte da fortaleza, métodos de defesa e como os soldados procediam nos casos de tentativa de invasão. A vista do alto da torre de observação é simplesmente magnifíca, vemos o mítico Mont Ventoux, também conhecido como “monte careca” ou “gigante da Provença” que, do alto de seus 1911 metros, é o ponto mais alto do departamente de Vaucluse, e também a cadeia Dentelles de Montmirail, cujo ponto mais alto se eleva a 730 metros, e que fica no coração de uma região maravilhosa, onde meu vinho Côtes du Rhône preferido é produzido, o Gigondas. O mistral soprava forte nesse dia, e encontrar o equilíbrio no alto da torre não foi tão simples.

 

Grignan e La Garde-Adhémar: dois dos mais belos vilarejos da França

De lá seguimos viagem rumo ao vilarejo de Grignan*, onde poderíamos ver campos de lavanda ao redor de um belo castelo medieval, mas… As lavandas já tinham sido colhidas, e parte da fachada do castelo estava coberta por andaimes para os trabalhos de restauração. O calor e a seca de 2017 anteciparam em três semanas a colheita da lavanda, que geralmente tem início por volta de 15 de julho. Como o bebê dormia, só passeamos de carro pelo vilarejo, e seguimos para o destino seguinte, La Garde-Adhémar*, classificado como um dos mais belos vilarejos da França, e que pode ser visto no caminho de trem entre Marseille e Paris, à direita do trem no sentido para a capital. O vilarejo é um charme, e ao redor dele vimos muitos campos de girassois, mas nada de lavanda. Terminamos o primeiro dia em Pierrelatte*, onde pernoitamos.

Gruta de Madalena: explorando belezas naturais escondidas numa caverna

Sábado: seguimos pela estrada sinuosa que acompanha o curso do rio Ardèche com dois objetivos: ver o cânion e visitar grutas e cavernas. Mudamos os planos ainda na véspera, quando vi panfletos de outras grutas que não estavam previstas no itinerário, e nossa primeira parada foi da Gruta de Madalena, um lugar que nos deixou boquiabertos tamanha era a beleza dessas esculturas naturais. De lá, seguimos para o Pont d’Arc, famosa ponte calcárea natural sobre o rio Ardèche, onde pudemos nos refrescar e observar os inúmeros caiaques percorrerem as águas do rio. Terminamos o dia em Barjac, onde pernoitamos, e que foi a grande surpresa dessa viagem. Desisti de visitar as cavernas que estavam nos planos iniciais: Caverne du Pont d’Arc e Grand Site Aven d’Orgnac por questões de organização: não seria legal fazer as visitas tendo que deixar a Luna no carro, ao sol, no calor que fazia. A visita da gruta nos bastou nesse dia, e nos surpreendeu imensamente!

 

O melhor pro final: vilarejos de Barjac e Aiguèze

Domingo: Passamos a manhã no vilarejo de Barjac*, que só entrou no roteiro por conta da hospedagem excelente* e de última hora que encontramos lá. Mas o vilarejo acabou se revelando uma agradável surpresa, e saimos de lá bastante encantados tanto com o lugar em si, como com nossa hospedagem. Chegamos no fim da tarde, e nos hospedamos num antigo convento, praticamente no coração do vilarejo. Exploramos o lugar durante a manhã, e depois seguimos pra casa. Mas decidimos fazer uma última parada pra nos refrescar no rio Ardèche – afinal o objetivo principal da viagem era mesmo aproveitar as águas longe do mediterrâneo, que estava super concorrido. Foi no caminho de volta que paramos no vilarejo de Aiguèze*, classificado como um dos mais belos vilarejos da França. E foi por lá mesmo que nos refrescamos no rio, pra nos despedir desse passeio delicioso, que deixou muitas saudades e boas lembranças que compartilharei em outros posts!

 

 

  1. Juliana Proença

    Quantos lugares lindos! Já anotei todo o roteiro! Quero me programar para conhecer esses lugares no sul da França! Obrigada por compartilhar!

Deixe uma resposta