Troca de casas em viagem: nossa experiência com HomeExchange

postado em: Hotéis, Parceria | 3

Frequentemente ouvia meus colegas de trabalho comentarem sobre suas viagens e suas experiências com troca de casas pela França e pelo mundo. Hospedagem pode ser uma parte considerável do orçamento de viagem, e pra mim é um exercício de desapego a cada nova viagem planejada por envolver uma série de fatores importantes que precisam ser priorizados. Queremos as comodidades oferecidas pelo hotel ou vamos no estilo “sua casa do outro lado do mundo” do apartamento de locação de férias? Essa escolha depende muito do tempo que vamos passar em cada lugar, da nossa disposição e do ritmo que vamos dar à viagem.

Como funciona a troca de casas com HomeExchange

Conheci um pouco mais sobre a plataforma de troca de casas HomeExchange durante o Encontro de Blogueiros em Madrid, que aconteceu no mês de novembro. Antes disso, já tinha lido a experiência da Maira que usou bastante esse tipo de hospedagem, e também da Fabia e Gabi no Estrangeira. Fiquei na expectativa pra testar e acabamos tendo uma primeira experiência muito positiva com duas hospedagens durante nossa viagem à Vancouver e Seattle em fevereiro.

O princípio da plataforma é o seguinte: ao realizar o cadastro no site, colocamos nosso casa ou apartamento como hospedagem que pode ser feita por duas maneiras. A troca de casas recíproca, que é a troca propriamente dita,  ou seja, procuramos no destino de interesse uma casa ou apartamento e vemos se a pessoa tem interesse em vir pra nossa casa ou apartamento durante o período pretendido. Outra maneira é a troca de casas não recíproca, e foi a que testamos nessa primeira experiência.

Na troca de casas não recíproca usarmos GuestPoints, que são pontos acumulados ao realizar a inscrição do site, mas também ao recebermos hóspedes em períodos que viajamos para um destino diferente daquele de onde nosso hóspede é originário, conforme o valor da casa do seu destino e também da sua casa. Também é possível acumular pontos ao receber um hóspede mesmo quando vocês não está viajando. É possível cadastrar uma residência principal ou residência secundária pouco usada, e nesse caso é mais fácil acumular GuestPoints para outras viagens. Ganhe pontos extras fazendo aqui seu cadastro no HomeExchange.

Economizando na hospedagem com troca de casas

A troca de casas com o HomeExchange é uma forma excelente de economizar na hospedagem durante uma viagem, pois pagamos pouquíssimo no processo. Existem duas opções quanto à taxa cobrada pelo site: opção por dia de hospedagem, no valor de 10€/dia, ou a opção anual no valor de 130€. Se a intenção é usar o serviço por muitas vezes, então a opção de taxa anual é a melhor. Essa taxa cobre: apoio da equipe do HomeExchange em caso de dificuldades na reserva ou problemas entre hóspede e anfitrião, garantia de alojamento se houver cancelamento ou a casa/apartamento seja incompatível com a descrição no site, e para o anfitrião, a garantia de que seu lar doce lar vai estar do mesmo jeito que foi deixado antes do hóspede chegar.

Um caução de 500€ é feito no momento da reserva e pode ser usado pelo anfitrião caso danos ao imóvel sejam constatados durante a hospedagem, caso contrário o caução é desbloqueado do cartão do hóspede.

Nossa experiência de troca de casas pelo HomeExchange

Nos hospedamos em duas cidades diferentes durante uma mesma viagem usando nossos GuestPoints acumulados ao fazer nosso cadastro no site. Em fevereiro estivemos em Vancouver e Seattle, e durante metade da viagem ficamos em casas encontradas através do HomeExchange. Nossa primeira experiência foi em Seattle e ficamos no andar de baixo da casa da família, com entrada inteiramente independente, acesso seguro por meio de código na fechadura e com tudo que a gente esperava encontrar, pois a descrição estava fiel à realidade. O tamanho impressionou, tudo era muito maior (dimensões americanas) e a cordialidade da família fez toda a diferença nessa hospedagem.

Seattle

Nossa anfitriã forneceu todas as informações necessárias pra que pudéssemos chegar lá, deu indicação de lugares pra visitarmos na cidade e ainda pudemos conversar um pouco, pois eles só viajaram poucos dias depois da nossa chegada. Ficamos um total de seis noites e nossa privacidade foi respeitada o tempo inteiro, voltamos muito satisfeitos dessa primeira experiência.

Vancouver

A segunda hospedagem foi em Vancouver. Durante nossa primeira semana na cidade ficamos na casa do meu cunhado pois não consegui encontrar um alojamento com data disponível através do HomeExchange, mas ao voltar de Seattle tinhamos nossa hospedagem reservada nos esperando e foi uma surpresa muito agradável. A localização era excelente, e foi um dos pontos que me fizeram escolher o apartamento, com vista pra baía e muito perto do Granville Island Market, um lugar delicioso que adoro passear em Vancouver. Tinha um parquinho do lado de onde estávamos, ótimo pro Vic, e ainda poderíamos usufruir do estacionamento do condomínio caso estivéssemos de carro.

Não encontramos nossos anfitriões desta vez pois eles já estavam viajando quando chegamos, mas para ambos anfitriões levei uns mimos da Provença e deixei uma cartinha de agradecimento. Em ambos apartamentos, foram deixadas instruções detalhadas de uso dos equipamentos de cozinha e lavanderia, comodidades nos arredores e também sobre como proceder ao deixarmos a casa (retirar lixo, deixar roupa de cama e toalhas na lavanderia ou já lavando, etc).

Vista da varanda do apartamento em Vancouver, Canadá

Balanço final

Gostamos bastante da experiência, já tivemos de recusar trocas pro nosso apartamento por incompatibilidade de calendários, pesquisei bastante e entrei em contato com muitos anfitriões enquanto planejava a viagem de Vancouver e Seattle, e mais recentemente tive dificuldade em conseguir hospedagem pelo HomeExchange em Lisboa – cidade super concorrida, época igualmente disputada, e não tive muito tempo pra planejar, então a hospedagem por lá vai ser tradicional mesmo. Mas é uma experiência que todos nós gostamos muito, e ao pesquisar usei sempre o filtro para crianças aceitas – nem todo lugar é adaptado à crianças, como acontece também no AirBnB ou mesmo no Booking. Não levamos a Luna nessa viagem ao Canadá e EUA, então este foi um fator que ampliou um pouco mais nosso leque de opções também, mas existem casas/apartamentos que aceitam animais de estimação. Testamos, aprovamos e recomendamos!

Ganhe pontos extras fazendo aqui seu cadastro no HomeExchange

3 Responses

  1. Débora Resende

    Que experiência diferente! Eu já fiquei na casa de outras pessoas usando o Airbnb, mas nunca recebi ninguém em casa e também não conhecia essa possibilidade de fazer uma troca de casas, rs. São experiências muito enriquecedoras culturalmente, né?

  2. Gabriela Torrezani

    Ficamos felizes de saber que você já tinha lido a nossa experiência e também experimentou fazer a troca de casas com a home exchange! É uma ótima opção mesmo. Ok que depende do anfitrião, mas no geral nossas experiências também foram legais. 😀

  3. Murilo Pagani

    Que bacana que você teve uma boa experiência na sua primeira troca de casas. Já tinha ouvido falar superficialmente sobre a plataforma HomeExchange, mas ainda não sabia detalhes sobre preço e a dinâmica da coisa! Adorei!

    Quem sabe na próxima não considere fazer isso também! =)

    Abração

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.