14 de jun de 2012

Saintes-Maries-de-la-Mer


PORTUGUÊS/FRANÇAIS
As férias estão chegando e junto com elas chegam as visitas, o que sempre me anima, principalmente nesta época do ano, quando a Provence, naturalmente bela em qualquer estação, fica ainda mais bela e exala perfumes de lavanda, pinho, alecrim e tomilho e convida à passeios entre mar e montanha. Pra aproveitar os dias longos e o tempo bom durante praticamente toda a estação, já que geralmente em junho, julho e agosto as chuvas são raras, pensei em intercalar visitas em cidades provençais medievais e cidades litorâneas, pra aproveitar a variedade que a região oferece. E uma das cidades que fazem parte da listinha "o que visitar no verão" é Saintes-Maries-de-la-Mer.




A cidade fica à 111km de Aix-en-Provence e 37km de Arles, na região da Camargue, uma região de planície no delta do rio Ródano (Rhône) conhecida pelos cavalos e touros, mas também pelo sal e arroz que são cultivados ali, além de abrigar o Parque Natural Regional da Camargue, onde diversas espécies animais, incluindo os belíssimos flamingos podem ser vistos. Saindo de Aix podemos optar por dois percursos até Arles, um pela autoestrada (8,40€ de pedágio ida e volta) e outro pela nacional que passa por Fos-sur-Mer, onde já começamos a ver os flamingos. Não fui de autoestrada porque já conhecia o caminho por Fos e sabia que a paisagem é super bonita e vale os buraquinhos e irregularidades na pista (sim, aqui tem dessas coisas!), e chegando em Arles (onde geralmente tem um retenção básica dependendo do horário durante a semana, e em fins de semana durante o verão pode ser mais movimentado por causa do fluxo de turistas na região) e de lá o caminho é um só, de estrada nacional mesmo, que passa na entrada do parque.

Igreja de Saintes-Maries-de-la-Mer
L'église de Saintes-Maries-de-la-Mer

A vantagem de se visitar cidades litorâneas no inverno é evidente: não tem uma pessoa na cidade, e foi exatamente assim que conhecemos Saintes-Maries, tinha mais gaivotas do que pessoas na cidade. Mas mesmo sabendo que não seria possível tomar um banho de mar ou se esticar por algumas horinhas na areia (sim, a praia de lá tem areia, diferente de Cassis e da Côte d'Azur, por exemplo), o que nos levou lá foi a história por trás do nome da cidade, e que remonta aos tempos do princípio do cristianismo...

Saintes-Maries-de-la-Mer, ou Santas Marias do mar, teria sido o porto onde desembarcaram as santas Maria Salomé e Maria Jacobé, acompanhadas de santa Sara, fugidas da Palestina em uma barca que navegou sem rumo até chegar ao local. A igreja de Saintes-Maries é um monumento imponente que pode ser visto à distância, e foi construída para desempenhar a dupla função de fortaleza de proteção contra os piratas e local de recolhimento espiritual. Sob o altar encontra-se uma gruta onde fica a imagem de santa Sara, padroeira do povo cigano, e como a igreja servia de proteção à população em situações de perigo também podemos ver um poço de água doce em seu interior. Apesar de ter uma população pequena (cerca de 3 mil habitantes), a cidade é a segunda maior em superfície da França, sendo a vizinha Arles a maior.

Em torno da igreja se organiza o comércio local, com várias lojas de produtos típicos da Provença e da Camargue, principalmente botas de cavalgada e chapéus, já que a região é renomada pelos cavalos e cavalgadas promovidas ali. Uma arena onde ainda são realizadas as touradas, uma tradição da Camargue, especialmente em Arles e Saintes-Maries, fica na beira-mar, e na época do 14 de julho a cidade organiza, há cerca de 20 anos, o Encontro de Artes Equestres, com desfiles de cavalos, apresentações de música cigana e corridas flamencas. Ao lado da arena, uma grande estátua de bronze homenageia o touro "Vovo", celébre nos anos 50 por sua força, sendo que seu grande feito foi ter pisoteado e mordido o couro cabeludo de um toreador (não gosto de touradas, entendo que é tradição, mas não assisto, e torço pelo touro).

A estátua do touro Vovo
Vovo le taureau
Os restaurantes podem ser facilmente encontrados em toda a cidade, e o prato típico da região tem como ingrediente principal a carne de touro (taureau), mas quem preferir os frutos do mar não vai se decepcionar, são várias opções de pratos com peixes e mariscos, e quem gosta de sururu pode se deliciar com a opção "moules marinières" ou "moules frites", uma panela do molusco acompanhada de uma porção de fritas. Pra comer sujando os dedinhos!

Distância de Aix-en-Provence à Saintes-Maries-de-la-Mer: 111km pela autoestrada (8,40€ de pedágio ida e volta), 133km pela estrada nacional (sem pedágio).
Distância de Arles à Saintes-Maries-de-la-Mer: 37km (trecho sem pedágio)

Les vacances d'été sont presque là (j'ai hâte!) et avec elles les visites commencent à arriver chez nous, et je suis contente qu'ils soient venus plutôt à cette époque-ci qu'en hiver, car il y a beaucoup de choses à voir et à faire en Provence pendant l'été, sans oublier tous les parfums qui la nature dégage : le thym, le romarin, la lavande, le pin, et les balades entre mer et montagne. Alors il faut bien choisir les destinations à visiter et comme les beaux jours sont au rendez-vous j'ai pensé à intercaler des visites aux villages médiévaux et à la mer pour bien profiter de tout ce que la Provence tient à nous offrir. Et l'une des destinations qui fait partie de ma sélection est Saintes-Maries-de-la-Mer, que j'ai pu visiter en hiver, quand il y avait plus de mouettes que des gens dans la rue. 

La ville se situe à 111km d'Aix-en-Provence et à 37km d'Arles, au coeur de la Camargue et tout près du Parc Naturel Régional de Camargue. Outre la mer, les arènes et les flamants rose qui peuvent être vus un peu par tout dans la région, les chevaux et les taureaux ajoutent un charme tout particulier au paysage campagnard. J'ai visité Saintes-Maries pendant l'hiver et je trouve que c'était bien parce qu'on a pas affaire à la foulée de gens un peu par tout, on ne galère pas pour se garer, et nous ne voudrions pas nous baigner à la mer de toute façon, mais plutôt visiter cette ville qui est le berceau de la légende de l'arrivée de saintes Marie Jacobé et Marie Salomé, qui ont fui la Palestine au début du christianisme accompagnées de leur servant Sara, qui est la sainte patronne des gitans et à qui l'on rend hommage dans la grotte de l'église. 



L'église est une énorme fortification qui peut être aperçue à distance et qui a servi comme protection pour la population. Au tour de la fortification s'organise le commerce, où l'on trouve notamment des bottes et chapeaux de monte, du riz et du sel de Camargue. Des nombreux restaurants sont installés au bord de mer et aussi dans les places près de l'église et servent des plats à base de fruits de mer ou bien de la viande de taureau, spécialité de la région.


Agrandir le plan

4 comentários:

  1. marseille é linda ,maravilhosa mayo/2014

    ResponderExcluir
  2. estive em saint marie la mer,arles,avignon,baux provance,monpellier,marseille,agora em maio;2013 valeu apena a festa de santa sara,povo acolhedor ,festas nas ruas,musica ,é uma ótima epoca para visitar a região da provance em maio e um bom preço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não fomos à festa de Santa Sara, mas ja nos disseram que realmente vale à pena, que é um belo evento! E o mês de maio é uma boa época mesmo, preços atrativos e o clima ja é muito agradavel, além dos dias que ficam cada vez mais longos!

      Excluir
  3. já estive em saint marie la mer em 2013/festa dos ciganos é belíssima a afesta e a cidade,vale a pena ficar alguns dias valeu este ano novamente a grande festa

    ResponderExcluir

Estarei de férias no período de 27/04/2017 a 12/05/2017, os comentários feitos nesse período podem demorar mais que o normal para serem respondidos.

Tem dúvidas, sugestões ou informações complementares? Este é seu espaço! Sua dúvida pode ser a de outros, e suas sugestões certamente ajudarão outros leitores!
Comentários sem relação ao post, links de propaganda ou conteúdo ofensivos não serão publicados.