Rota da lavanda: Sault, capital mundial da lavanda

Dia desses fiz uma pequena enquete, no melhor estilo “qual a primeira palavra que te passa pela mente quando o assunto é Provença?” e a resposta foi unânime: lavanda. Geralmente nossas visitas aos campos de lavanda da região acontecem quando temos hóspedes em casa: foi assim que perdemos a conta das vezes que fomos ao plateau de Valensole, a maior superfície cultivada de lavanda da região. Mas este ano, nenhum hóspede programou pra nos visitar no verão, uma pena. Mas isso não nos impediu de conhecermos outros campos de lavanda, percorrendo itinerários diferentes da rota da lavanda, e foi assim que visitamos Bonnieux, em 29 de junho.

AGENDE SEU ENSAIO FOTOGRÁFICO NOS CAMPOS DE LAVANDA!

Aproveitamos o feriado de 14 de julho que caiu numa segunda feira bem ensolarada e caimos novamente da rota da lavanda, desta vez em direção à capital mundial da lavanda: Sault. Antes que eu pareça me contradizer ao afirmar que Valensole tem a maior superfície cultivada, mas Sault é a capital mundial da florzinha roxa, explico: existem tipos diferentes de lavanda cultivada na Provença, e a planta cultivada em Sault é conhecida como lavanda fina (Lavandula angustifolia), cultivada acima dos 700 metros de altitude, cujo óleo essencial é muito apreciado pelas perfumarias de Grasse (a capital mundial do perfume), enquanto a lavanda cultivada em Valensole, o lavandin, tem utilização funcional: sabonetes, perfumes, e seu cultivo é feito em áreas situadas até 600 metros de altitude (como eu sei? Aprendi tudo isso aqui).

Sault, capital mundial da lavanda

De Aix-en-Provence até Sault são cerca de 90km, que optamos percorrer pela estrada nacional que sempre traz belas surpresas e nos permite conhecer com calma a região. Quando estávamos a cerca de 12km de Sault, os primeiros campos de lavanda deram o ar da graça na beira da estrada, no lugarejo chamado Sarraud. Foi ali que resolvemos estender a toalha e fazer nosso piquenique, à sombra de um pinheiro, no meio do campo de lavanda e com vista pro imponente Mont Ventoux.

Esta foi a paisagem que apreciamos durante nosso piquenique entre lavandas

O Mont Ventoux é ponto mais elevado da região, com 1912 metros de altitude, e recebeu em 2013 uma etapa do Tour de France, vencida pelo colombiano Nairo Quintana, que subiu os 23km em cerca de 50 e poucos minutos. Bernardo fez a subida em 2012 e disse que a inclinação é surreal, a subida é super puxada. Quando assisti o colombiano subir com naturalidade, como se estivesse fazendo uma caminhada tranquila à beira-mar, lembrei do relato do Bernardo: foram 4 horas de subida, água acabou faltando um tempo pra chegar no topo, e pensei que fiz muito bem em recusar o convite pra acompanhá-lo e fiquei dormindo.

Depois do piquenique ao som do mistral soprando forte e espalhando o perfume da lavanda pelos ares, e do zumbido das abelhas ocupadíssimas entre uma flor e outra de lavanda, voltamos pra estrada pra percorrer os 12km mais longos da minha vida. Explico: imagine você dirigir numa estrada onde cada metro proporciona um ângulo diferente pr’aquela foto maravilhosa, e onde depois de cada curva tem uma paisagem de deixar o queixo caído, que te obriga a estacionar toda hora pra contemplar o que os olhos não podem ver por curto tempo. Pois bem, essa é a maior dificuldade de dirigir na rota da lavanda: resistir ao apelo incessante da paisagem pra parar e contemplar. E é por isso que prefiro viajar pelas estradas nacionais, pois nelas temos mais facilidade de desviar a rota, de encostar o carro na beira da estrada, do que numa autoestrada, onde existem sim mirantes (a autoestrada pra Côte d’Azur tem um belíssimo com vista estupenda pra Mônaco, Menton e Itália).

 

 

 

 

Depois de não sei quantas paradas pelo caminho, e de perder a oportunidade de parar no mirante da estrada pouco antes da cidade durante a ida, chegamos ao vilarejo medieval de Sault. A cidade conta com vários estacionamentos, e não tivemos dificuldade em encontrar uma vaga próxima ao centro – lembrando que nossa visita foi feita num feriado e durante o período de floração da lavanda.

Como grande parte dos vilarejos medievais que já visitamos na região, Sault reúne as características que encantam os visitantes: erguida numa colina que tem vista privilegiada pro vale onde a lavanda é cultivada, as casas misturam o estilo provençal, com suas fachadas em tons rosados e declinações de ocre, suas janelas coloridas, ao estilo medieval, com pedras aparentes e torres arredondadas que são vistas com frequência no centro histórico.

Nosso único imperativo do dia era: flanar. E nos perdemos pelas ruelas do vilarejo, percorrendo sem pressa os corredores vazios, encontrando uma galeria de arte aqui, uma casinha com janelas cor de lavanda acolá, uma igreja numa praça charmosa, um museu… ops, a entrada é gratuita! Vamos lá. E a Luna foi bem vinda no único museu da cidade, que pode passar despercebido com facilidade, o que seria uma pena. Pois ali, atrás de uma portinha tímida, com uma plaquinha igualmente tímida convidando os transeuntes a entrar, fica um acervo que nos surpreendeu.

*Encontre aqui a melhor opção de hospedagem em Sault e reserve com a melhor tarifa e possibilidade de cancelamento gratuito caso mude de planos!*

Além de objetos típicos dos séculos XVIII e XIX principalmente, uma vasta biblioteca com livros e documentos ocupa o salão principal. A sala seguinte é dedicada ao cultivo da lavanda: um alambique e outros objetos de cultivo e colheita antigos estão à exposição, além de fotos de época. Mais uma sala, mais uma riqueza de objetos: moedas antigas, muito antigas mesmo, dos tempos de Alexandre, o grande, até os tempos do franco francês contam um pouco da história através dos símbolos gravados no metal. Mas a maior riqueza do museu fica no último salão: artigos egípcios trazidos por locais que foram ao país na época de Napoleão, durante as campanhas das Pirâmides, no século XIX, e que foram posteriormente doadas ao museu pelas famílias daqueles que participaram dessas expedições. Uma múmia de um sacerdote é sem dúvidas o item mais precioso do acervo, e por si só vale a visita ao despretensioso museu.

Depois da visitinha, continuamos a percorrer as ruas do vilarejo, já caminhando de volta pro carro. Na estradinha, a parada no mirante não escapou durante a volta, e marcou o fim da nossa visita à capital mundial da lavanda.

Informações práticas:

Para obter informações mais atualizadas sobre o estado dos campos de lavanda, entre em contanto com o Office du Tourisme de Sault.
A floração da lavanda acontece geralmente à partir de meados de junho, e a colheita geralmente de 15 de julho a 15 de agosto. Leia tudo que já foi publicado sobre Rota da Lavanda.

 

 

 

 

 

 

 

 

 Rua do Museu, e entrada do museu da cidade. Vale muito a visita.

 

 

 

Esta mesinha ali embaixo também é uma excelente opção pro piquenique

 

 

 

 

Finalmente, a vista do mirante na estradinha

 

52 Responses

  1. Tiago

    "Nenhum hóspede programou pra nos visitar no verão"?
    Sério? Ó meu Deus! Ainda perdemos a oportunidade de ser hóspedes exclusivos esse ano! 😉
    Que venham os próximos verões!

  2. Natalia Itabayana

    Pois é, um absurdo passarmos o verão com esse monte de lavanda só pra gente, né? A proposito, o convite não tem data de validade 🙂

  3. Natalia Itabayana

    Oi Katia!
    Atualizei o post com o periodo de floração e também o link pra todos os posts sobre a Rota da Lavanda publicados aqui no blog! Obrigada pela pergunta, tinha esquecido de mencionar a informação!
    Abraço!

  4. Samara

    Oi Natalia!
    Eu e meu marido iremos com meus pais tentar achar algumas lavandas no próximo fim de semana. O planejado inicialmente seria só Gorges du Verdon, mas como vc disse que a colheita nessa região é feita antes, reservei um dia para Sault, torcendo para os campos estarem floridos! Obrigada pela dica! 😉
    Comecei a acompanhar seu blog recentemente e estou amando! Onde na provence vcs moram? Estou morando em Nice esse ano e me perdi de amores pela região toda!
    Beijos

  5. Natalia Itabayana

    Ei Samara!
    Olha, sugiro de cara que vocês evitem a autoestrada e percorram a belíssima Route Napoléon, que passa por Grasse. Nos arredores vocês já poderão ver campos de lavanda, e o itinerário até Castellane é um dos que mais quero fazer aqui na região. Vocês chegam então no alto das Gorges du Verdon, daí podem visitar o lago de Sainte Croix e Moustiers-Sainte-Marie, e depois podem passar por Valensole (sigam a estrada D8 saindo de Moustiers, direção Digne-les-Bains, e depois digam as indicações pra Valensole, passei por ela na quarta feira passada, dia 23, e ainda tinha muuuitos campos floridos). Daí no segundo dia vocês visitam Sault e podem esticar até o topo do Mont Ventoux pra ver a Provença do seu teto!

    Moro em Aix-en-Provence, a região é linda e todo dia tem uma surpresa nova no caminho, não é?

    Espero que curtam bastante a viagem!
    Abraços!

  6. cristina

    Boa tarde ! Vou para Paris no dia 3 de outubro e vamos ficar 7 dias , gostaria de saber se esses locais que vc mostrou é muito longe para ir em 1 dia , ou se teria algum outro mais perto de plantações de lavanda ? Obrigada Cristina

  7. Samara

    Ei Natália! Acabamos de chegar de viagem e estou apaixonada!!! Realmente em Moustiers não tinha muita lavanda mais, mas ainda achamos 2 campos bem grandes e completamente floridos! Já em Sault estava tuuuuuuudo florido, como você falou! Que coisa de outro mundo ver os campos do alto, várias manchas roxas na paisagem! É de ficar na memória!
    Não tivemos tempo de ir em Mont Ventoux pq o tempo estava meio curto, mas pretendemos voltar lá em outra oportunidade para subir no Mont. Pena que não veremos os campos roxos, mas acho que ainda vale a pena!
    Gordes du Verdon dispensa comentários. Entrou nos meus tops de lugares mais lindos que já vi!

    Obrigada pelas dicas!!! Quando formos em Aix te avisarei. Se vcs estiverem a toa por aí, quem sabe poderemos nos conhecer!
    Abraços!

  8. Natalia Itabayana

    Ei Samara!

    Fico feliz que tenham visto os campos, e agradeço imensamente por ter voltado aqui pra compartilhar conosco suas impressões!

    Até breve!

  9. Ana

    Boa noite, Natalia!
    Sou doida pra ir conhecer as lavandas, mas a única data que posso é justamente no feriado de 15/08. Você acha que ainda vale a pena? Ainda consigo ir até Sault ou mesmo alguma outra plantação e de fato ver as lavandas? Muito obrigada!!

  10. julio garcia

    Olá, Natália !
    Tudo bem ? Sou Mônica e sou fã do seu blog.
    Vou viajar com minha família pelo sul da França em julho e gostaria de pedir uma opinião sobre o roteiro que estou pensando em seguir.Espero que vc possa me ajudar! Desde já, agradeço sua atenção.
    O roteiro é o seguinte :
    10/07 – Avignon
    11/07-Avignon
    12/07 – Arles/Les-Baux-de-Provence/Arles
    13/07 – Arles/Cavaillon/Lourmarin/Cucuron/Bonnieux
    14/07 – Menèrbes/Oppède/Gordes/Abbaye de Sénanque/Roussillon/Manosque
    15/07 – Valensole/Moustiers-Ste-Marie/Gorge du Verdon
    16/07 – Aix-en-Provence
    17/07- Aix-en-Provence
    18/07 – Marseille
    19/07-Marseille
    20/07- Saint-Tropez/Cannes/Grasse
    21/07 – Antibes/Saint-Paul-de-Vence
    22/07- Èze/Nice
    23/07- Nice
    24/07 – Nice/Mônaco/Nice
    25/07- Nice/Paris/SP

    Estou na dúvida principalmente na região da Lavanda. Vc acha que é muita cidade pra se visitar em um dia só?Aguardo suas considerações.
    Muito obrigada.
    Abço,

    Monica

    Olá, Natália !

    Tudo bem ? Sou Mônica e sou fã do seu blog.
    Vou viajar com minha família pelo sul da França em julho e gostaria de pedir uma opinião sobre o roteiro que estou pensando em seguir.
    Espero que vc possa me ajudar! Desde já, agradeço sua atenção.
    O roteiro é o seguinte :
    10/07 – Avignon
    11/07-Avignon
    12/07 – Arles/Les-Baux-de-Provence/Arles
    13/07 – Arles/Cavaillon/Lourmarin/Cucuron/Bonnieux
    14/07 – Menèrbes/Oppède/Gordes/Abbaye de Sénanque/Roussillon/Manosque
    15/07 – Valensole/Moustiers-Ste-Marie/Gorge du Verdon
    16/07 – Aix-en-Provence
    17/07- Aix-en-Provence
    18/07 – Marseille
    19/07-Marseille
    20/07- Saint-Tropez/Cannes/Grasse
    21/07 – Antibes/Saint-Paul-de-Vence
    22/07- Èze/Nice
    23/07- Nice
    24/07 – Nice/Mônaco/Nice
    25/07- Nice/Paris/SP

    Estou na dúvida principalmente na região da Lavanda. Vc acha que é muita cidade pra se visitar em um dia só?
    Aguardo suas considerações.
    Muito obrigada.
    Abço

  11. Natalia Itabayana

    Oi Monica!
    Recomendo 2 vilarejos por dia pra não ficar cansativo demais e pra terem tempo de flanar pelas ruelas de cada um deles e apreciar com calma o lugar.

  12. Daniela Anjos

    Escrevi no face mas to eu aqui de novo! rs! Chegando em Aix qual campo você aconselha ver primeiro? Vou seguir sua sugestão de ficar um dia em Moustiers… Pensei em um dia pra conhecer Aix, 2 dias pros campos de lavanda e depois ir pra Moustiers… Considerando que chego em 18 de julho além de Sault qual outro campo será que ainda conseguirei ver? No caminho até Moustiers tem algum q estará florido? Obrigada!

  13. Claudia P.

    Oi Natália,
    o seu post está ótimo e seu site também!! Estamos aproveitando várias dicas suas.
    Eu e o meu marido somos apaixonados pela Provence. Já estivemos em Aix-en-Provence e no Luberon e esse ano vamos exclusivamente para ver os campos de lavanda. Iremos em junho de 2016 e faremos esse roteiro até Sault.
    Vamos de Paris para Avignon de trem, chegaremos à noite e dormiremos em Avignon. No outro dia de manhã alugaremos um carro para irmos até Sault. Passaremos por Gordes, Joucas, Lioux e Sault conforme está no roteiro oficial.
    Eu gostaria de saber a partir de que ponto desse roteiro começamos a avistar os campos de lavanda? Você sabe me dizer? Você cita Sarraud, acha que devemos passar por ali também?
    Outra coisa, você teria alguma indicação de hospedagem em Sault ou em meio aos campos de lavanda da região? Já procurei bastante no Booking e não encontrei. Vamos dormir e retornar para Paris de trem no dia seguinte (saindo de Avignon).
    Obrigada!!

  14. Natalia Itabayana

    Ei Cláudia!
    Hospedagem no meio dos campos é difícil, acho que você ppde procurar nos arredores, como Manosque, Riez ou Gréoux-les-bains, que ficam perto de Valensole!

  15. Sílvia Wanderley

    Olá Natalia!
    Sou Sílvia, estou planejando passar o mês de maio na Provance, gostaría de além de conhecer esta região, aproveitar bem o convívio com os habitantes locais, para melhorar meu francês.
    Quero alugar uma casa pequena pois vou só com meu marido e gostaría de sua opinião sobre uma Vila para eu ficar. Pensei em Isle sur la Sorgue, St. Remi de Provance…
    O que você me aconselha?

  16. A dois

    Oi Natalia,

    eu agradeço a sua atenção e resposta. Mas, vamos fazer o roteiro de Sault e não o de Valensole (que é mais longe de Avignon), onde ficam as regiões que você indicou. Decidimos nos hospedar nos arredores de Sault.
    Obrigada!!!

  17. Heloisa Krieger

    Oi Natalia!
    Eu por aqui de novo, dessa vez p abusar um pouquinho… Então, marcamos viagem para inicio de julho em função dos campos de lavanda, meu sonho ve-los floridos… Ai conheci teu site e agora tenho vontade de abraçar a Provence inteira! Como estamos indo em família (2 crianças de 9 e 4 anos e sogra junto) tentei montar um roteiro q conciliasse atrações p todos. Se puderes, fica a vontade p dar os pitacos q quiseres, serão super bem vindos! La vai:
    1- dia da chegada, estamos em duvida quanto a cidade base, pensamos em Coustellet, Saignon, Lioux ou Merindol;
    2- Plateau de Valensole, Gorges du Verdon e Moutiers St-Marie
    3- Isle-sur-la-Sorgue + Avignon
    4- Baux de Provence (Carrieres) + St-Remy
    5- Gordes + Roussillon
    6- Sault + Sisteron
    7- Aix-en-Provence
    8- Troca de base: passeio de barco em Cassis e hospedagem por la;
    9- Trem Cote Bleue ate Miramas + Marseille (dormir em Cassis);
    10- Ida p Cote d'Azur: passaremos por Cannes e a base será Nice;
    11- St-Paul de Vence (fundação Maghet)
    12- Villa Ephrussi + Monaco
    13- Ida p Paris
    Ufa e isso… Se achares q ficou meio apertado, poderemos excluir a Cote d'Azur numa boa.

  18. Ana Cristina Mateus

    Oi Natalia, estou pensando em pegar um tgv de Paris para Marelha . O percurso é bonito de vista interessante ou não? Chegando em Marcelha vamos fazer Provence.
    Obrigada Ana

  19. Natalia Itabayana

    Oi Ana! Sim, o itinerário de tgv entre Paris e Marselha é lindo, vale a pena. E você também pode chegar na estação de Aix-en-Provence, ou então de optar por se hospedar em Marselha, pode vir de ônibus passar o dia em Aix, que fica a 30km de distância.

  20. Unknown

    Olá!! Obrigada por compartilhar as informações e principalmente as imagens.
    Estou programando minha viagem a Provence. Quero ver é fotografar os campos de lavanda e se conseguir de bike. É comum fazer passeios de bike nos campos? Obrigada. Sandra

  21. Nicole

    Ola ! Vou a Paris dia 06 de agosto ! Gostaria de saber qual o campo de lavanda mais proximo !
    Beijos e obrigada !

  22. Camila

    Oi Natália,
    Parabéns pelo site!! Estou anotando todas as suas dicas .
    Eu , minha mãe e minha irmã vamos para a Provence agora em agosto e gostaríamos de ver os campos de lavanda. Chegaremos na noite do dia 01 de agosto em Avignon e estávamos pensando em fazer uma excursão pela região. Você acha que conseguimos vagas nas excursões fácilmente ou seria melhor já comprar aqui no Brasil? Obrigada Camila

  23. Marísia Fernandes Araújo

    Olá Natália. Estou encantada com a rota da lavanda, quero me programar pra conhecer mas não falo francê, só um pouco de inglês e espanhol. Isso é motivo pra me preocupar e depender de guia pra conhecer tudo?

  24. Marísia Fernandes Araújo

    Olá Natália. Estou encantada com a rota da lavanda, quero me programar pra conhecer mas não falo francê, só um pouco de inglês e espanhol. Isso é motivo pra me preocupar e depender de guia pra conhecer tudo?

  25. Mani Buson

    Olá, iremos para a França em maio de 2017, e lá pelo dia 4 estaremos na Provence, voce acha que poderemos ver algum campo florido nesta época
    Mais uma dúvida, depois iremos pra italia, tem como ir de trem pra Milão (não sei usar a interrogação neste teclado).
    Obrigada

  26. Natalia Itabayana

    Oi Mani!
    Em maio infelizmente os campos de lavanda não estarão floridos, a época da floração acontece à partir do final de junho.
    Quanto ao trajeto até Milão é possível ir de ônibus.

  27. Angela Macedo

    Olá Natalia!
    Vou a Lisboa em meados de julho e gostaria de programar uma ida aos campos de lavanda. Qual cidade você recomenda?

  28. Mani Buson

    Olá, vamos pra a frança em maio de 2017 lá pelo dia 4 estaremos na Provence, será que veremos algum campo florido
    Outra duvida, dai iremos pra Italia, tem como ir de trem (não sei usar interrogação neste teclado)
    Estou adorando as suas matérias.

  29. Unknown

    Oi Natalia, pretendemos viajar em julho, e temos estadia em avignon, voce acha de dâ para faze bate volta para Valensole, Roussilon, Luberon, e Verdon, quantos dias preciso para conhecer tudo. Obrigada. Solange

  30. Natalia Itabayana

    Oi Solange!
    Dá sim pra fazer os bate-volta saindo de Avignon, mas acho que fica muito corrido conjugar tudo num dia só, por exemplo. Pra aproveitar com calma acho que um dia por destino é o ideal!

  31. Fernanda C

    Oi Natália.

    Conheci seu blog há pouco e estou AMANDO suas dicas. Irei na segunda semana de junho/2017 e vou arriscar a visita aos campos, espero poder ver e encontrar algum florido. Alguma sugestão sobre quais florescem primeiro?

    Ainda estou montando um roteiro de 2 dias pela região, passando por Aix e seguindo de carro por alguma das rotas da lavanda.

    Obrigada por compartilhar tanta informação boa conosco!

  32. Unknown

    Oi Natalia, tudo bem?

    Estou pensando em passar 2 dias em Aix para conhecer os campos de lavanda. Chego 13/07 a noite e vou embora 16/07 a tarde.
    Gostaria de saber qual estacao de trem (TGV) mais proxima do centro de Aix.

    Adicionalmente, pretendo conhecer 2 campos de lavandas Sault (14/07 bem na queda da Bastilha 🙂 e Plateau de Valensole (15/07). Vc saberia me informar se 14/07 tem excursões para os campos?
    O que mais vc sugere fazer nesse curto espaço de tempo? Pensei em Pont Du Gard mas nao sei se o tempo que tenho é suficiente.

    Gostei muito dos seus textos.

    Um abs!
    Daniel

  33. Flávia Bordogna

    Oi, Natália, já estive algumas vezes na Provença mas nunca consegui ver os campos de lavanda floridos. Estou indo para a Provença novamente no dia 04 de agosto. Como você mora na região, gostaria de saber se a floração da lavanda foi cedo ou tarde esse ano e se tenho alguma chance de vê-las dessa vez.

  34. Natalia Itabayana

    Oi Flávia!
    Alguns campos no Luberon começaram a florir, está muito quente este ano, mas pode ser que chova e isso atrasa a colheita, que geralmente vai de meados de julho a meados de agosto. O ideal pra você seriam os campos do plateau de Valensole por conta da proximidade com Gorges du Verdon, e você ainda pode esticar o passeio até Moustiers-Sainte-Marie. http://www.destinoprovence.com/2012/07/rota-da-lavanda-plateau-de-valensole.html
    Caso verifique mais na época que realmente a floração antecipou, a chance maior de ver campos floridos será em Sault, onde a altitude mais elevada faz com que a floração se dê uns dias mais tarde em relação à Valensole.

  35. Renata

    Olá! Gostaria de saber qual o melhor momento para ir entre essas duas datas: 15 a 13/6 ou 01 a 15/8?
    Obrigada!

    • Natalia Itabayana

      Oi Renata!
      O auge da floração em geral acontece no início de julho, na primeira semana. Em geral a colheita começa por volta do dia 15/07, o mais próximo dessas datas seria o ideal.

  36. ADRIANA LANGER

    Bonjour Natalia! Ameeeei o seu blog! Lindo, super completo e você muito gentil em compartilhar estas informações! Merci
    Estarei chegando, no dia 28/06/2019 em Paris….pretendo pegar um TGV até Aix (seguindo as suas dicas que seria um bom lugar para se ficar como base)….aí surgiu a duvida, consigo pegar o TGV direto no aeroporto CDG até Aix? Desde já agradeço. Obrigada ….bisous!

    • Natalia Itabayana

      Oi Adriana!
      Sim, tem estação TGV no aeroporto CDG. Existem dois tipos de trem que fazem o trajeto até a Aix, o TGV normal e o lowcost Ouigo. O incoveniente do Ouigo, na minha opinião, são as tarifas extras para bagagem, por isso vale pesquisar pra ver qual dos dois vai ser mais interessante pra você!

  37. Cida

    Olá! O blog é fôfo! Tô apaixonada!
    Só consigo chegar a Paris em 14/8 🙁
    Alguma chance de encontrar alguma “sobra” de campos de lavanda de pé?

    • Natalia Itabayana

      Ei Cida! Agosto é provável que você encontre alguns girassois, mas as lavandas são colhidas ainda em julho!

  38. Felipe

    Oi Natália!
    Tudo bem?
    Muito obrigado pelas dicas do site!
    Conseguiríamos chegar na região de Provence na noite de 10 de agosto desse ano e queremos ir quase que exclusivamente pela lavanda!
    Você acha que conseguiremos? Apesar de ler aqui que os campos de lavanda normalmente tem a colheita até dia 15/08, por volta do dia 11/08 eles já estarão “mais vazios”?
    Muito obrigado novamente!

    • Natalia Itabayana

      Ei Felipe!
      Os campos ainda não floriram, é difícil dizer se ainda terão flores quando virão, mas vale vir à região para conhecer para além dos campos também! Os vilarejos são muito bonitos, e na época que vocês pretendem vir é mais provável que vejam os campos de girassol na região do Luberon e Plateau de Valensole!

  39. Katia Demovis

    Bom dia! Estive em Sault no início desse mês, especificamente no dia 10 de setembro. Infelizmente não foi possível ver os campos de lavanda floridos pois elas já haviam sido colhidas. Mas mesmo assim a cidade é encantadora! É um vilarejo que parece ter saído dos contos de fadas! Tão pequeno e tão acolhedor! E com uma vista deslumbrante (mesmo sem as florzinhas…). E o dia da feira de produtos típicos!!! É de enlouquecer de tantas cores, frutas, queijos, vinhos e MUITAS coisas feitas com lavanda, inclusive artesanato… uma delícia! Agora em setembro a feira foi na quarta-feira mas não sei se muda ao longo do ano. Adoramos!
    Mas infelizmente tivemos um problema muito sério e gostaria de registrar aqui para evitar que outros turistas passem pela experiência horrível que passamos. Já havíamos passado por Sault em uma viagem anterior, mas esse ano queríamos passar pelo menos uma noite lá para aproveitar ainda mais. Como é uma cidade muito pequena mesmo havia pouquísimas opções de hotel e sabíamos que não haveria nada muito luxuoso. Acabamos optando pelo hotel Le Signoret pois era em cima de um restaurante onde já tínhamos almoçado e sabiamos que era bem no centro da cidade. A diária do hotel já foi cobrada do cartão no ato da reserva 3 meses antes da viagem, mas tudo bem pois isso estava descrito no Booking. Achei estranho pois logo depois recebi uma mensagem do hotel dizendo que eles já precisavam saber meu horário de chegada, de saída, se ia tomar café da manhã no hotel e se ia usar estacionamento. Informaram que a Recepção do hotel funcionava das 16:00 às 19:00. Valores descritos: Chegada antes das 16:00 – 20 Euros, Check out após às 11:00 – 40:00 Euros, Estacionamento – 40,00 Euros por dia e café da manhã – 20,00 Euros por pessoa. Gente!! Era um hotel super simples e a diária custava 50 Euros! E como eu já havia passado por lá eu já sabia que a cidade possui uns bolsões de estacionamento onde você pode estacionar GRATUITAMENTE, sem risco nenhum pois a cidade é muito segura! Enfim, chegamos no hotel na data marcada, um pouco antes para aproveitar a cidade. Às 16:00 fomos para o hotel fazer o check in, esperamos até 16:30, ninguém chegou, porta trancada e luzes apagadas. Ligamos diversas vezes para os telefones de emergência que constavam num cartaz na porta mas ninguém atendeu. Fui até o Office de Turisme e perguntei se ela podia me ajudar mas ela disse que com esse hotel ela não tinha nenhum contato pois eles davam muito problema. E me deu um panfleto contendo os outros hotéis da cidade caso tivesse problema com esse. Preciso dizer que saí de lá bem preocupada… Passou um carro de polícia e eu chamei, perguntei se eles podiam me ajudar pois tinha uma reserva para aquela noite já paga, já era por volta das 17:00 e o hotel estava fechado. O policial foi comigo lá e ligou para o telefone de emergência. A pessoa atendeu, disse a ele que já tinha me passado um e-mail com a senha da porta e dizendo onde estava a chave do meu quarto, o que era mentira, esse e-mail chegou bem depois que o policial foi embora. Entramos, fomos para o quarto, que era HORRÍVEL! Precário!! Só faltava ter beliches, o resto era um terror, tinha até cheiro de mofo! Quando escutei que alguém chegou na Recepção, que já era por volta das 17:30, fui até lá. Fui tratada com deboche, ironia e desrespeito. Falei que queria meu diheiro de volta e que não ficaria naquele lugar. Ela se recusou a me devolver meus 50 euros já pagos e eu perguntei: e os 20 euros que você deve me pagar? porque se eu chegasse antecipada ou atrasada eu teria que pagar, você chegou quase duas horas atrasada. Ela gargalhou e disse que isso só valia para turistas e não para o hotel. Enfim, pegamos nossas malas e fomos embora de lá. O gerente ficou na porta GRITANDO para irmos embora logo pois não éramos bem vindos lá. Acredito que essa reação tenha sido porque pedi ajuda para a polícia. Fui para o hotel Le Relais, indicado pelo Office de Turisme. Uma gracinha de hotel! Fui muito bem recebida! O quarto era simples mas muito aconchegante, espaçoso e o chuveiro delicioso! Finalmente pudemos decansar e passamos muito bem a noite. E no dia seguinte era a feira! Sensacional, passeamos por tudo e paramos em cada barraca. Quando nos demos conta estávamos em frente ao restaurante do hotel Le Signoret, aquele que praticamente nos expulsou. O dono estava colocando as mesas na calçada para o almoço. Fui até ele e perguntei se era ele que tinha gritado conosco no dia anterior, pois não me lembrava da fisionomia dele e ele disse que era ele mesmo. Então eu disse que ele jamais poderia tratar um turista como havia nos tratado pois quando um turista reserva um hotel não espera somente uma cama, mas ser recebido com gentileza, receber informações da cidade, enfim, ser acolhido, afinal estava pagando por isso. Ele disse que o hotel era dele e ele agia como queria. Eu o chamei de desonesto. ELE ME PEGOU PELO BRAÇO, BEM FORTE, ME ARRASTOU PELA CALÇADA E ME JOGOU NA RUA!! O feirante veio me ajudar a levantar. QUANDO OLHEI PARA TRÁS ELE TINHA ENTRADO NO RESTAURANTE, SAIU SEGURANDO UM BALDE E ME DEU UM BANHO DE ÁGUA SUJA!!!! ME ENSOPOU DA CABEÇA AOS PÉS! Meu cabelo ficou ensopado pingando água suja! Posso garantir que foi uma das piores experiências que passei na vida durante alguma viagem! Reclamei no Office de Turisme, que tentou chamar a polícia, que fica numa cidade próxima mas a viatura tinha saído e voltaria só mais tarde. Infelizmente não pude esperar para registrar queixa pois tinha reserva de hotel em outra cidade que também tinha horário apertado para o check in e precisei ir embora, De qualquer forma a atendente do Office foi muito atenciosa, lamentou muito o occorrido, pediu desculpas em nome da cidade e me pediu para mandar um e-mail bem detalhado pois ela ia encaminhar ao Prefeito pois todos os dias ela recebia reclamações de agressões verbais daquele hotel, mas aquela foi a primeira agressão física e isso passava todos os limites. Continuei minha viagem, passei por Valensole, Moustier St, Marrie, Cassis e Nice. Mas preciso dizer que a exaustão emocional que essa agressão me causou estragou todo o restante da viagem, cada vez que me lembrava daquele homem enorme me arrastando sem saber o que ia acontecer comigo eu começava a chorar. Foi realmente assustador. Enviei meu relato como avaliação do hotel pelo Booking.com mas eles me retornaram dizendo que não podiam publicar pois não estava de acordo com a regras deles, as quais jamais me passaram quais eram. O Trip Advisor publicou. Outra dica: não confie nas avaliações do Booking.com pois eles não publicam as negativas. De agora em diante sempre vou verificar as avaliações de um hotel pelo Trip Advisor, jamais pelo Booking.com. Peço desculpas pelo tamanho do relato mas realmente não desejo que ninguém passe pelo que passei, e num lugar tão lindo, mas onde jamais voltarei…

    • Natalia Itabayana

      Puxa Katia, sinto muito por essa experiência desagradável que passou…

  40. Katia Demovis

    Obrigada Natalia! Tudo vale como experiência… Mas nem mesmo essa experiência horrível é capaz de tirar a beleza e o encanto desse lugar lindo. Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.