Qual o custo de vida na França?

postado em: Vida na França | 0

Posso dizer que a pergunta “quanto custa morar na França?” tem sido grande concorrente da pergunta mais feita por quem planeja uma viagem à Provence: qual melhor época pra ver lavandas? Pra segunda pergunta tenho resposta na ponta da língua – ou melhor, de um clique – mas a primeira exige um pouco mais de detalhes. Sem pretensões de abordar o tema de planejamento financeiro de forma exaustiva, vou tentar elencar a média de custos que podemos ter ao longo de um mês para quem cogita a possibilidade de passar uma temporada aqui ou, quem sabe, se instalar por período um pouco mais longo, e mesmo para ajudar o planejamento da viagem pois alguns gastos podem ser comuns quando se mora ou visita.

Quanto custa morar na França

Quando viemos morar aqui, em 2010, contamos com auxílio de uma empresa de relocação, pois se tratava de transferência profissional. Toda a parte administrativa, vistos, abertura de conta em banco, caução pra aluguel de imóvel, empréstimo para compra de carro foi feita partindo do perfil de trabalhador expatriado em missão. Este post  não tem como objetivo tratar desses trâmites em específico, apenas esclarecer o aspecto financeiro do custo de vida na França, mais especificamente em Aix-en-Provence, onde moramos desde 2010. Os valores indicados levam em conta os preços praticados entre janeiro e fevereiro de 2019. Para estudantes, um levantamento feito pelo jornal Le Figaro indicou uma média de gastos mensais de 946€ em Aix-en-Provence em 2019.

 

Moradia

A despesa com moradia é a mais importante do orçamento, e alguns fatores precisam ser levados em conta quando se escolhe o lar doce lar. O fator de maior importância no dossiê que se apresenta para alugar um imóvel é a renda dos futuros locatários. O valor do salário deve ser 3 vezes superior ao valor do aluguel, e sem uma comprovação de renda é difícil conseguir alugar imóvel.

No aspecto financeiro, o primeiro ponto a avaliar é o tipo de imóvel a ser alugado: casa ou apartamento. Outro ponto importante é o número de cômodos principais: por aqui, os imóveis são divididos por tipo e o número indica quantos cômodos tem, excluindo banheiros e cozinha. Ou seja, um apartemento de tipo 1 (T1) é um quitinete ou estúdio – sala, quarto e cozinha num mesmo espaço, banheiro separado. Um apartamento de um quarto é tipo 2 (T2), e assim por diante. Banheiro pode ser separado em toilettes e salle de bain (onde fica ducha ou banheira, apenas) ou ainda o banheiro que temos tradicionalmente no Brasil, vaso sanitário e ducha/banheira no mesmo espaço, mais comum nos apartamentos mais novos ou menores. Em geral os apartamentos de até 3 ou mesmo 4 quartos contam apenas um banheiro.

Aluguel em Aix-en-Provence

É importante saber que quanto mais cômodos um imóvel tiver, mais elevado o valor de seu aluguel. Em geral, os preços para um quitinete de no máximo 20m² o aluguel fica em torno de 500 euros em Aix-en-Provence. Um apartamento de um quarto (T2) varia entre 650 a 800 euros, e um apartamento com dois quartos pode ficar em torno dos 1100 euros mensais. Algumas agências incluem o valor do condomínio no aluguel, e o valor pode variar de 50 euros a 150 euros mensais em função das comodidades do prédio: se tem elevador, garagem fechada, porão individual por apartamento, piscina no condomínio, etc.

Saiba quais as melhores regiões onde se hospedar em Aix-en-Provence

As casas em geral tem um custo mais elevado no aluguel, mas também em termos de manutenção de áreas externas, como piscina e jardim. Pra referência, uma casa com dois quartos no departamento de Bouches-du-Rhône fica entre 650 e 1500 euros, dependendo da cidade onde está localizada. Se a casa fica num condomínio (lotissement), vale incluir o valor mensal de despesas de manutenção com áreas comuns, similares ao condomínio de um prédio.

Em se tratando de manutenção da casa, os franceses fazem praticamente tudo eles mesmos, os serviços em geral são bastante caros. Já ouvi meus colegas no trabalho falando sobre quais produtos usam pra cuidar da piscina, qual melhor época pra cuidar disso ou daquilo no jardim, enfim, bricolagem é algo que ta no DNA francês, um hobby que eles cultivam com paixão.

Além do valor do aluguel devemos também contratar um seguro de habitação, obrigatório e com valor em torno de 26€/mês. O seguro cobre sinistros relativos ao imóvel – incêndios e riscos relacionados, roubo e vandalismo, danos causados por tempestade, granizo ou neve, danos causados por água, quebra de vidros/janelas, danos elétricos, responsabilidade civil do proprietário ou locatário, responsabilidade civil vida privada (indispensável para inscrever as crianças em atividades esportivas, na escola, na cantina, tempos extraescolares, matricular em universidade, é relacionado à qualquer acidente não intencional do cotidiano), catástrofes naturais e tecnológicas, assistência com encanamentos e elementos externos da habitação.

Imposto de habitação

Além do valor do aluguel é preciso ter em mente que paga-se um imposto habitacional, cobrado uma vez ao ano e que tem valor calculado em função do tamanho do imóvel (cerca de 400€ para um apartamento de 2 quartos), junto de uma taxa de contribuição ao áudiovisual no valor de 130€ ao ano para quem possui aparelho de TV em casa. A taxa de áudiovisual pode ser contestada em imóveis sem TV em 1 de janeiro do ano fiscal a que se refere o imposto, mas o interessado deve informar a administração fiscal por meio de formulário.

Para os proprietários de imóveis, além da taxa de habitação cobra-se também um imposto sobre a propriedade. Os valores de ambos impostos são calculados com base em fatores como área do imóvel, localização geográfica e cidade onde ele se encontra (cidades com monumentos inscritos no patrimônio da Unesco em geral tem taxas mais elevadas, como é o caso de Arles, que também é o maior município em termos de área da França).

Contas diversas da casa

Outras despesas que se somam ao valor do que se paga com moradia são água, eletricidade/gás, telefone fixo/ internet e telefone celular. Em condomínios é comum que a taxa de água fria seja cobrada diluída no valor do condomínio.

  • Internet + telefone fixo + TV : 32€ / mês
  • Eletricidade + Gás : 90€ / mês (apartemento de 2 quartos com 3 pessoas, aquecimento ambiente eletricidade, gás para aquecimento da água e eventualmente cozinha se fogão à gás).
  • Telefone celular: 20€ com 100Gb de internet, chamadas, mensagens texto e mídia ilimitadas e 25Gb de internet em uma série de países no exterior

 

Seguro de saúde

Por aqui contamos com uma cobertura de saúde pública que garante acesso à consultas médicas a baixos custos, e ainda podemos ter um seguro de saúde complementar conforme o contrato de trabalho, o que é nosso caso. O valor desse seguro fica em torno de 40€/mês para nossa família (dois adultos e uma criança) e temos através dele e somado à cobertura do sistema de saúde público, o reembolso quase integral dos valores pagos nas consultas médicas.

Leia mais sobre o sistema de saúde francês

A título indicativo, uma consulta com nossa médica de família custa 25€ (adulto) e 30€ (criança). O sistema público nos reembolsa 70% deste valor, e o restante é coberto pelo seguro complementar, que também funciona na base do reembolso. Para alguns atos clínicos, como exames laboratoriais, sessões fisioterápicas, não pagamos nada diretamente ao prestador de serviço, apenas apresentamos as carteiras do seguro público e do seguro complementar, que farão o pagamento diretamente ao profissional de saúde em questão.

O cadastro no sistema de saúde francês é feito em função do tipo de visto: o visto para estudante abre direito a um tipo de cobertura de saúde, enquanto o visto para trabalhador abre direito à cobertura ampla (mas é necessário aguardar pelo menos três meses após o início do contrato de trabalho na França, pois precisamos apresentar os três primeiros contracheques juntamente com outros documentos para abrir o dossiê e ter o número de seguridade social (sécurité sociale).

 

Alimentação

Uma outra parte importante do orçamento é com alimentação e compras de supermercado em geral. Vou usar como referência minhas compras semanais de alimentação pra uma família de dois adultos e uma criança de quatro anos. A média semanal fica em torno de 60€ pra nós três considerando legumes e frutas variadas (em geral comprados na feira) e carnes, e quando compramos produtos de limpeza o valor da compra chega a 80€ / semana.

Preço médio de uma refeição em Aix-en-Provence é de 15 euros para o prato do dia sem bebida no horário do almoço durante a semana.

Transporte

Aix-en-Provence é uma cidade bem interligada por ônibus. Não existe metrô ou tram na cidade, que recentemente viu seu serviço de ônibus incrementado pela linha de ônibus rápido, que tem corredores exclusivos e intervalo fixo de passagem, funcionando nos moldes do bonde/tram. A nova linha tem correspondência com as demais linhas urbanas e também passa pelo terminal rodoviário, garantindo também a correspondência com ônibus interurbanos.

Saiba mais: Como chegar na Provence – do aeroporto ou estação TGV até o centro de Marselha ou Aix-en-Provence

  • Ônibus urbano Aix-en-Provence: 1,20€ com correspondência possível em outras linhas até 1h15 após primeira viagem
  • Estacionamento + ticket de ônibus válido por um dia: 2,20€ (estacionamentos conectados diretamente com as linhas de ônibus, vale para quem vem passar o dia – trabalho/estudos – e não precisa se deslocar de carro dentro da cidade. O valor inclui o tempo de estacionamento e o ticket de ônibus ida e volta e conexões para todos os passageiros do veículo)
  • Ônibus interurbano de Aix-en-Provence à Marseille: 6€ bilhete unitário, 10€ bilhete ida-volta
  • Ônibus Aix-TGV (estação de trem rápido): 4,30€ trajeto unitário
  • Ônibus Aix-aeroporto: 8,60€ trajeto unitário

Carro próprio

É possível viver sem carro em uma cidade como Aix-en-Provence pois os ônibus cobrem bem os diversos pontos da cidade. Entretanto, é muito comum que a cidade seja escolhida como local de residência em função da presença de boas escolas, da universidade e também por atrativos culturais e de entretenimento, mas que o local de trabalho fique a mais de 30km do domicílio.

Saiba quais as formalidades necessárias para dirigir na França

Se o deslocamento cotidiano for entre Aix-en-Provence e Marselha, digo sem sombra de dúvidas que trem ou ônibus são a MELHOR opção neste caso, pois as estradas ficam muito congestionadas nos horários de pico, sem falar que dirigir em Marselha é um exercício de paciência. Estudei por dois anos na cidade e fazia meu trajeto diário de ônibus, saindo da estação rodoviária de Aix e chegando na estação Saint-Charles, bastava atravessar a rua e estava na faculdade. No mais, circular por Marselha de metrô, tram ou ônibus é muito mais tranquilo do que dirigir pela cidade.

Caso ter um carro seja indispensável, temos duas despesas principais: seguro (que é obrigatório) e combustível. Não há imposto nos moldes do IPVA.

  • Seguro do carro: seguro de um carro médio ano 2018 fica em torno de 500€ ao ano, variando conforme marca
  • Preço do combustível: o litro de diesel em outubro de 2019 está em torno de 1,40€ e o litro de gasolina está em torno de 1,55€ em Aix-en-Provence.

 

Entretenimento

Cinema: tarifa adulto 11€ , jovens 14 a 18 anos 7,70€ e menores de 14 anos 5,50€

Piscinas municipais: entre 3€ e 4€ a entrada individual por adulto

Museus e centros de arte: conte entre 4€ e 14€ para as atrações em Aix-en-Provence e arredores. Para saber mais sobre opções de entretenimento em dias de chuva, veja as dicas desses 13 passeios na Provence.

Leia também: O que fazer em Aix-en-Provence

Cinco passeios bate-volta a partir de Aix-en-Provence

Bibliotecas públicas: as bibliotecas públicas de Aix-en-Provence tem inscrição gratuita e funcionam de terças à sábado, sendo também uma excelente opção gratuita de entretenimento, pois além de empréstimos de livros, DVDs e outros documentos também organizam eventos, conferências, palestras e atividades ao longo das semanas.

Esporte: sou membro de um clube de corrida e em 2019 Victor também começou a praticar esportes nas quarta-feiras, quando não tem aula na escola. Pagamos uma anuidade que inclui o acesso aos treinos e espaço esportivo onde são realizados, além de participação em alguns eventos organizados pelo clube.

No caso da anuidade de adulto, o valor é de 190€ (menos de 16€ por mês) e inclui a licença da Federação Francesa de Atletismo, seguro para uso da pista, acesso aos 4 treinos semanais (dois no estádio e 2 fora do estádio), uma blusa de uniforme do clube, uma prova de corrida gratuita, inscrições preferenciais em provas concorridas, reduções para viagens organizadas pelo clube, além do acesso ao estádio fora dos horários de treinos. A anuidade infantil é de 200€ e garante os treinos uma vez por semana, seguro em caso de acidente durante os treinos, além de outros eventos organizados pelo clube. Quando duas ou mais pessoas da mesma família fazem parte do clube há uma redução no valor total das anuidades.

Gratuito: Há também alguns parques em Aix-en-Provence, que são excelentes lugares para praticar esportes ao ar livre e também para levar as crianças a maior parte do tempo, inclusive no inverno (temos uma média de chuva bem baixa por aqui, cerca de 60 dias de chuva contra quase 300 dias ensolarados no ano). Os parques dispõem de áreas de lazer infantil devidamente seguras e em excelente estado, um sucesso entre as crianças!

Piscina Sainte Victoire, em Venelles

 

Educação infantil: creches e escolas

Além das outras despesas que podemos ter com crianças – atividades extra-escolares, alimentação e lazer – vale pensar na educação como um ponto que pode ou não pesar no orçamento familiar. Via de regra, o período mais caro em termos de custos vai desde a retomada do trabalho após o fim da licença maternidade ou parental até os 3 anos da criança, quando ela estará em idade escolar. Existem duas opções para confiar a criança quando chega o tempo de retomar o trabalho: creche (equivalente do berçário no Brasil) ou cuidadores registrados pelo governo.

Creches e assistentes maternas

As vagas nas creches, que podem ser de tipo públicas, associativas ou privadas, são extremamente concorridas – em geral, antes mesmo do bebê nascer os pais já deverão ter feito sua inscrição na creche, a partir do fim do 3o mês de gestação. O valor pago pelo serviço varia em função do número de horas de permanência da criança e principalmente em função da renda familiar. As despesas com creche ou cuidadores registrados (assistantes maternelles , popularmente conhecidas como nounous) são dedutíveis do imposto de renda, e no caso das assistantes maternelles o órgão responsável pelos auxílios com gastos familiares pode oferecer compensações financeiras em função dos valores pagos e da renda familiar.

Os pais de crianças menores de 3 anos podem solicitar uma redução do tempo de trabalho, passando seu contrato em tempo integral para tempo entre 50% e 90% (o tempo base da jornada de trabalho semanal é de 35h). O valor mensal para um tempo de creche de 120 horas pode ficar em torno de 360€, por exemplo. Já o valor pago pelo mesmo tempo para uma assistante maternelle pode chegar ao dobro – por isso as creches são tão concorridas, mas por isso também existem compensações financeiras propostas pelo organismo de auxílio familiar, assim como deduções do imposto de renda.

Escolas

A partir de 3 anos a instrução escolar é obrigatória na França (pode ser educação domiciliar, pouquíssimo comum aqui), e o Estado garante a educação pública, gratuita e obrigatória dos 3 aos 16 anos. Existem escolas particulares, mas a maior parte dos estudantes franceses é escolarizada nos estabelecimentos de ensino público. Nós optamos pela escola pública pois já pagamos por ela através dos impostos, e não temos nenhum gasto extra com valor de mensalidade, apenas os serviços complementares propostos (tarifa calculada em função da renda familiar): refeição no horário de almoço e tempo extra-escolar antes ou depois do horário de aulas.

A semana letiva tem 4 dias de presença em tempo integral no ensino maternal e primário: segundas e terças, quintas e sextas, de 8h30 às 16h30, com possibilidade de tempo extra (pago) de 7h30 às 8h10 e/ou 16h30 às 17h45. As quartas feiras são reservadas para atividades extra escolares, mas no caso de famílias que não podem contar com redução da jornada de trabalho – pois também implica redução salarial – existem os centros de lazer que funcionam de 7h30 às 17h45 nas quartas feiras e também durante algumas férias escolares.

Leia também as dicas da Milena que mora em Paris e compartilhou informações sobre o custo de vida por lá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.