Veneza no inverno vale a pena?

Veneza no inverno vale a pena? Só posso responder afirmativamente à pergunta. Curiosamente, as outras duas vezes que fui a Veneza era inverno. Mas diferente das duas primeiras visitas à cidade, a mais recente teve dois fatores diferentes: fui à Veneza na inverno e com criança, bem no meio de janeiro de 2019, com um frio bem rigoroso que se abateu sobre o norte da Itália.

Pra completar, ambos Vic e eu estávamos doentes, então tivemos de adaptar nosso ritmo de passeio por conta desse contratempo. Não fosse isso, acredito que teríamos percorrido muito mais kilômetros na miríade de ruelas que é Veneza.

A Provence no inverno também é um destino interessante!

Passamos 3 dias em Veneza no inverno por lá, e sinto que faltou tempo, mas como a saúde tava fraca, conseguimos aproveitar bem nossos dias na cidade. Eu ficaria facilmente pelo menos 5 dias em Veneza pra conseguir visitar com calma os lugares que faltaram e dedicar tempo suficiente pra conhecer um pouco melhor a cidade.

 

Prós e contras de Veneza no inverno

Durante os dias que passamos em Veneza no inverno pudemos andar tranquilamente pelas ruas da cidade, nos perder pelos labirintos e visitar pontos mais frequentados, sem necessariamente nos depararmos com multidões à cada esquina. É uma época propícia também pra visitar com mais atenção galerias e museus. Em compensação, alguns restaurantes e ateliers dos sopradores de vidros podem estar fechados.

Além disso, podemos ser surpreendidos com queda brusca de temperaturas em decorrência de frentes frias mais rigorosas, como foi o nosso caso dessa vez. Os dias mais curtos nos obrigam a adaptar o roteiro e ter menos pretensão de querer ver tudo na cidade de uma vez só.

veneza no inverno

Hospedagem em Veneza no inverno

Essa foi a primeira vez que me hospedei de fato na cidade. Nas duas primeiras visitas fizemos bate-volta a Veneza a partir da estação de trem de Mestre, onde deixamos o carro. Estávamos hospedados pros lados de Castelfranco Vêneto, onde temos família, e a intenção então era só flanar tranquilamente pela cidade.

Eu quis me hospedar em Veneza pra vivenciar a cidade com a tranquilidade que o bate-volta não proporcionou, pois a preocupação com os horários de trem era um dos fatores que tivemos de gerenciar nas primeiras visitas. Escolhi um hotel bem localizado em Veneza* – pois meus sogros foram nos encontrar – e ficamos a poucos minutos da estação de trem, próximos também de restaurantes e mercadinho. A localização estratégica da nossa hospedagem em Veneza* foi um ponto forte pra fazer dessa viagem à cidade com criança um passeio bem tranquilo, pois a qualquer momento poderíamos voltar ao hotel quando ele precisava descansar.

Veja aqui mais opções de hospedagem em Veneza*

 

Roteiro de três dias em Veneza no inverno

Nosso primeiro dia em Veneza foi inteiramente dedicado ao encantamento pela cidade construída sobre as águas. Uma chuva fina caia quando chegamos do aeroporto e ao cruzarmos a controversa ponte construída pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava, me lembrei da dica preciosa da Isa: caminhar pelo centro da ponte e evitar levar malas de rodinha pra cidade. Vic comentou que a ponte escorregava e se dirigiu instintivamente pro meio da ponte. Tão logo descemos os últimos degraus, ele fez a primeira parada de uma série numerosa para contemplar o Canal Grande, suas gôndolas e as gaivotas às suas margens.

Bate-volta às ilhas de Murano, Burano e Torcello

No segundo dia fomos visitar as ilhas de Murano, Burano e Torcello. Saimos de vaporetto em frente à estação de Santa Luzia, bem perto de onde nos hospedamos, e em pouco tempo atravessamos a laguna rumo à nossa primeira parada: a ilha de Murano, famosa pela fabricação de seus requintados vidros decorados. Assistimos à demonstração do soprador de vidros que criou duas peças enquanto o público assistia, hipnatizado pela precisão dos seus gestos e rapidez na fabricação de cada peça.

O passeio pelas ilhas continuou em Torcello, primeira ilha habitada pelos venezianos quando ocuparam a laguna. Os vestígios arqueológicos fazem dela um museu a céu aberto, e ver o trono de Átila, o Uno, em frente ao museu foi um dos momentos fortes da visita. Como o dia se encerrava, embarcamos no vaporetto de volta à Veneza, um passeio de barco que proporciona panoramas fantásticos da cidade e que entretém as crianças – Vic amou!

Por fim o vaporetto nos levou à colorida ilha de Burano, onde nos atardamos por mais tempo. Vic ficou fascinado pelas casinhas coloridas e correu feliz entre as ruelas, parando aqui e ali pra fazer um comentário sobre as casas que achou mais bonitas. Almoçamos tardiamente em Burano na Osteria Al Fureghin, um restaurante bem pequenino e charmoso e com pratos saborosos de frutos do mar. Saboreamos o entardecer em Burano antes de voltarmos à Veneza no início da noite.

Veneza à noite é um espetáculo à parte! Fiquei imensamente feliz em ter me hospedado na cidade e ter vivenciado esses momentos de transição ao longo do dia.

Passeio guiado em Veneza

Nosso terceiro dia em Veneza foi dedicado ao passeio cultural com a Isa, guia em Veneza e região. Optamos pelo itinerário alternativo e Isa nos levou por lugares pouco comuns da cidade, sempre enriquecendo o trajeto com conteúdo histórico sobre tudo que estávamos vendo – inclusive uma conexão histórica entre Veneza e o sul da França através da história de São Roque, que era de Montpellier, mas cujos restos mortais se encontram na igreja que leva seu nome em Veneza. Vic andou uma parte do trajeto, o restante carreguei no canguru pois já estava se entregando ao cansaço. Veneza não é uma cidade prárica pra andar com carrinho de bebê, e temos o costume de carregar Vic no canguru desde muito pequeno. Terminamos o passeio na interessante Livraria Acqua Alta, nos despedimos da Isa e fomos almoçar.

O passeio foi indispensável pra percorrermos lugares interessantes e relevantes da história da cidade, fugindo um pouco do circuito principal que já conhecíamos, e nos deu uma visão mais rica do patrimônio e da importância histórica de Veneza. Isa é uma querida que a internet fez o favor de me apresentar, e fazer um tour com ela era desejo de viagem há muito tempo.

Como ir do aeroporto Marco Polo à Veneza

Optamos pelo ônibus para ir do aeroporto ao centro de Veneza. A tarifa paga foi de 8 euros e em cerca de meia hora o trajeto entre o aeroporto Marco Polo e a estação rodoviária de Veneza foi percorrido. Estávamos apenas com uma mochila, o que facilitou e muito nosso deslocamento entre aeroporto e hotel. Outras opções de transporte com indicações detalhadas de tarifas podem ser consultadas neste post da Isa que usei na pesquisa quando fui à Veneza.

Outros destinos da Itália que já visitamos:

12 Responses

  1. Isa

    Nat,
    Foi um prazer poder acompanhá-los por Veneza. Vic é um menino muito espero e viajante nato, mesmo sem saber de toda a história, ele desviou do pavimento de vidro da ponte. Adorei. Voltem sempre.

    Bjos,

    isa

  2. Fernanda Souza

    Veneza vale a pena em qualquer estação do ano. Eu já morei bem pertinho (em Pádua) e visitava Veneza com certa frequência. O único porém de Veneza no inverno é o vento, mas mesmo assim vale muito a pena. E como você disse: a vantagem é que não fica tão lotada.

  3. Juliana

    Que sonho conhecer Veneza! Acredito que um dos maiores pontos positivos de visitar no inverno realmente seja o de pegar a cidade mais vazia, sem bando de turistas mesmo. Adorei muito o post, me deixou animada para visitar nessa época também, porque não?

  4. Martinha

    Veneza é Veneza… não importa a época do ano. Sem falar que no inverno não tem tanto turista e a cidade fica muito agradável para passear. Já quero voltar!! E não esquecendo que você teve a companhia da Coisinha, quer Veneza mais especial que isso?!! =)

  5. Gabriela Torrezani

    Nunca tinha considerado a opção de visitar Veneza no inverno, mas agora acho que pode ser legal também! O fato da cidade ser bem menos cheia nessa época me atrai muito!

  6. Paula Augot

    Eu acho que ia gostar de visitar Veneza no inverno! A cidade deve ser bem mais tranquila e imagino que a hospedagem seja um pouco mais em conta tb!

  7. Luciana Rodrigues

    Quase todas as minhas viagens a Veneza foram no inverno. Inclusive em um Janeiro bem frio, mas com um dia de sol lindooooo.

  8. Angela C S Anna

    bahh inverno deve ser mais complicadinho por causa do vento ne, quando fui em abril ja passava um pouco de frio…acho q tem q dar a sorte de um dia de sol, mas ha algumas vantagens como hoteis mais baratos, menos pessoas nas ruas, digo, canais haueah e por ai vai

  9. Fabíola Moura

    Que bom ler sobre Veneza no inverno, uma vez que para quem tem filhos em idade escolar, só tem férias em Janeiro, época de frio na Europa. E como você viajou com criança, ajuda muito nessas informações.

  10. Klécia

    Que bacana ler um relato tão sincero sobre a cidade no inverno. Sempre bate a inseguranca mas seu post ajuda muito a já ir esperando o que vamos encontrar. Tirando o frio, aposto que vou gostar da cidade mais vazia!

  11. Maria

    Muito boa sua avaliação e também suas dicas sobre viajar para Veneza no inverno. É fato que, praticamente toda a cidade, tem prós e contras em ambos períodos (verão e inverno). O fato de pegar menos cheia e poder vivenciar com mais tranquilidade, me atrai bastante, apesar do frio.

  12. Laura

    Gostei desse blog, salvei até no meus favoritos em meu navegador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.