Saint-Paul de Mausole, a clínica onde Van Gogh ficou internado

postado em: Provença | 0

 

Van Gogh na Provence

Pensar em Van Gogh sem pensar no episódio da orelha cortada é praticamente impossível. O artista holandês teve uma conturbada temporada na Provence: foi banido da cidade de Arles, onde o fato ocorreu, e se internou na clínica psiquiátrica de Saint-Paul-de-Mausole, em Saint Rémy de Provence.

Visite as cidades do circuito Van Gogh:

Arles e o legado romano na Provence

Saint-Rémy-de-Provence: roteiro de visita

A clínica ainda funciona atualmente, e teve uma ala inteiramente dedicada ao artista. Seu quarto, assim como hipóteses diagnósticas sobre a dita loucura de Van Gogh na Provence são os pontos fortes da visita.

Visitando a clínica onde Van Gogh ficou internado

No fim de uma tarde ensolarada de maio de 2016, depois de um passeio pelas ruínas romanas de Glanum, um impressionante sítio arqueológico localizado nas portas da cidade de Saint-Rémy de Provence, nos dirigimos ao antigo monastério que hoje abriga uma instituição psiquiátrica de renome na região provençal: Saint Paul de Mausole.

Hospedagem em Saint-Rémy-de-Provence: Reserve aqui seu hotel!

Visite Saint-Rémy-de-Provence com excursão da Paris City Vision!

Essa foi uma visita que quis fazer durante anos, mas sempre me disse que talvez devesse esperar um momento oportuno, talvez uma visita especial, pois sempre guardo um passeio inédito pra fazer quando recebemos visitas aqui.

Eu quis levar alguns hóspedes, mas a época que eles vieram o acesso ao espaço do Centro Cultural da clínica psiquiátrica Saint Paul de Mausole estava fechado para visitação. A ocasião veio então com a vinda da minha cunhada, sua primeira vez nos visitando, ela que, como eu, é psicóloga, e ainda se aventurou pelos domínios maravilhosos das artes plásticas.

O mais ilustre dos pacientes da clínica teve uma história de vida tumultuada e viveu na Provença entre 1888 e 1890, primeiro na cidade de Arles, em seguida em Saint-Rémy, internado na clínica por um ano: trata-se de Vincent Vang Goh. Foi justamente em sua cela na clínica que ele pintou meu quadro favorito, a Noite Estrelada, que era a vista que tinha da sua janela. Da Provença, Van Gogh registrou muito em seus quadros, mas o ponto mais marcante foram as cores, a luz provençal que atraiu e atrai muitos artistas à região.

A temporada de Van Gogh na Provence

Mas a passagem do artista por aqui foi turbulenta: depois de um ano conturbado em Arles, que culminou com a amputação da orelha, episódio que deu origem à uma série de teorias, o artista viu o fim de seu projeto de comunidade de artistas quando um pedido de expulsão feito por moradores da cidade chegou até a mesa do prefeito.
Internado primeiramente no hospital de Arles, em seguida na clínica de Saint Paul, o interesse médico em torno do caso do artista deixou registros que podem ser vistos ao longo da visita ao espaço dedicado à sua memória. Uma história de vida difícil, relações familiares complexas e um tanto conflituosas, uma carreira artística pontuada por recusas, a dita “loucura” de Van Gogh foi atribuída à inúmeras causas, orgânicas ou psíquicas, como sífilis, transtorno bipolar ou ainda esquizofrenia, intoxicação em decorrência de tratamentos.
Fato é que a posteridade fez justiça à sua obra, rendendo a Van Gogh a fama e reconhecimento que ele não pode gozar em vida. Vincent, filho de Vincent, irmão do defunto Vincent, tio de Vincent, quem fez história foi aquele marcado pela perda de uma orelha, por um caminho sombrio diante das telas até encontrar nos arredores do mediterrâneo a luz que apeteceria mais tarde aos admiradores de sua obra.
Pra mim, a visita ao lugar onde o artista se recolheu ou foi compulsoriamente recolhido foi tão marcante e tão emocionante quanto o momento que contemplei pela primeira vez suas criações: ver tão de perto a intensidade das pinceladas, as misturas de cores e obras tão apreciadas despertou em mim uma emoção indescritível, que pude reviver à medida que caminhava pelos corredores, salas, jardins e claustro do monastério. Sem dúvidas uma visita a ser feita – com bônus floral ao longo do ano, culminando com os campos de lavanda nos meses de julho e agosto.

Informações práticas:

Funcionamento: de 1 de outubro a 31 de março : 10h15 às 17h15 (última entranda às 16h30, 16h15 aos domingos)
de 1 de abril a 30 setembro : 9h30 às 19h (última entrada às 18h30)
Fechado entre 23 e 25 de dezembro, e de 30 de dezembro a 6 de fevereiro
Tarifas:
Individual : 6€
Reduzida: 4€ (grupos, Saint-Rémy Pass)

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.