O que fazer em Oslo em três dias

A capital norueguesa não figurava no top 5 da minha lista de cidades a visitar na Europa, pelo menos não na época do planejamento do Tour Viking. Foi durante a organização do roteiro pela Escandinávia que me surpreendi com as distâncias entre as cidades da península. E quando vi que chegando por Göteborg estávamos mais perto de Oslo do que de Estocolmo, e que a proximidade com a Dinamarca também era algo impressionante, o pensamento “ah, é perto, vamos lá” ecoou na minha cabeça durante um tempo.

Junte a tudo isso a oportunidade valiosa pra mim de ver de perto um quadro de Edvard Munch que admiro, “O grito”, tudo apontava em direção de Oslo, me fazendo mudar um pouco o itinerário inicial. Sim, mudei o roteiro por conta de um quadro. Foi assim que renunciei à visita à Copenhagen e inclui Oslo como nossa segunda parada no Tour Viking. Neste post vou listar as atrações que visitar em Oslo, onde ficamos por três noites. Esse roteiro do que fazer em Oslo é apenas com as visitas que fizemos, que foram bem menos numerosas que eu tinha previsto inicialmente! Tem muito o que se ver na cidade, que mereceu ser incluída no roteiro com certeza!

Já apresentei neste post nosso passeio de descobertas pela cidade, incluindo uma visita ao terraço da Ópera de Oslo, um lugar esplêndido no porto da cidade, de onde se tem uma vista mágica do pôr do sol e um belo panorama das montanhas que cercam Oslo, além de um passeio pelos arredores da fortaleza Akershus, que não tivemos tempo de visitar por dentro.

Prefeitura de Oslo

Longe de ser o prédio com a fachada mais atraente da cidade, o austero edifício de tijolos aparentes domina a paisagem do porto antigo de Oslo. Visto de fora, em nada ele deixa transparecer que seu interior esconde uma beleza ímpar. É preciso quebrar a resistência inicial e se deixar guiar pelos degraus que levam à entrada da prefeitura, não sem antes percorrer os paineis em madeira esculpida que representam a gênesis nórdica com seus personagens mitológicos Ragnarok, Thor, Odin e Freya. Nessa galeria externa, os primeiros sinais de beleza se fazem evidentes aos olhos, e de repente a primeira impressão cede lugar à curiosidade.
A primeira impressão que a fachada do prédio deixa é quebrada logo que nos encontramos dentro dele. É no imenso saguão de entrada da prefeitura de Oslo que acontece nada menos que a entrega do Prêmio Nobel da Paz. Nem preciso dizer que fiquei emocionadíssima ao me encontrar no mesmo recinto cujas paredes reverberam com os aplausos a pessoas que trabalham para promover a paz. A visita à prefeitura é indispensável, pois além do simbolismo da cerimônia do Nobel, as belas pinturas que cobrem as paredes de todos os salões trazem imagens de cenas cotidianas da vida norueguesa, fazendo do seu interior uma imensa galeria de arte.

Visitar a Prefeitura de Oslo:

A visita à prefeitura é gratuita com Oslo Pass*, e acontece mediante disponibilidade, à ser verificada no site do Visit Oslo. Quando estivemos na cidade, em agosto de 2014, fizemos duas tentativas de visita, pois em um dos dias ela estava fechada para visita ao público.
Para horários de visita e tarifas, visite o site com informações de turismo sobre a Prefeitura de Oslo.

Nobel Peace Center

Localizado próximo da prefeitura de Oslo fica o Nobel Peace Center, um lugar inteiramente dedicado aos laureados do prêmio Nobel da paz. O centro reúne as histórias de cada um deles, apresentada de maneira interativa através de monitores digitais instalados em salas com decoração feita com pequenos pontos luminosos. Outro ponto interessante do centro é a parte dedicada ao trabalho feito pelo ICAN para banir armas nucleares. É possível conhecer um pouco da trajetória de cada premiado através de textos e imagens cuidadosamente pensados para levar ao público a informação de maneira interativa.

Visitar o Nobel Peace Center:

Aberto todos os dias, de 10h às 18h.

Tarifa: 120 NOK (adulto), 80 NOK (senior/estudante), gratuito para menores de 16 anos e detentores do Oslo Pass*.

Galeria Nacional

A Galeria Nacional foi fechada em janeiro de 2019 e reabrirá em 2020 no novo edifício construído. Mais informações no site oficial da Galeria Nacional em Oslo.
Esta foi outra visita da qual não abri mão, afinal o que me levou à Oslo se encontra na Galeria Nacional: trata-se do quadro “O grito” de Edvard Munch. Tão concorrido quanto a Monalisa, a pintura atrai pequenas multidões. Mas contrariamente à famosa hóspede do Louvre, o desconsolado sujeito em seu estado de aflição não pode ser fotografado (pelo menos havia a proibição quando visitamos o museu em 2014). Além de outras obras de Munch, o acervo da Galeria merece uma atenção especial. As pinturas que mais nos surpreenderam foram em estilo realista: éramos quatro boquiabertos a contemplar quadros que mais pareciam janelas imensas abertas às paisagens ilustradas. Passamos boa parte do dia ali, e depois seguimos para o Museu de História, logo atrás da Galeria Nacional.
Visitar a Galeria Nacional: TEMPORARIAMENTE FECHADA ATÉ 2020.

Museu Histórico

Sempre que o tempo nos permite, gosto de incluir uma visita ao museu de história do destino pois o acervo nos fornece um panorama bastante rico da evolução histórica do lugar visitado, e não foi diferente com o Museu de História de Oslo. Ali, aprendemos mais sobre os símbolos vikings e como eles foram incorporados pelas gerações posteriores, inclusive na simbologia cristã e mesmo no nazismo. Também permite contextualizar certos hábitos que podem nos parecer estranhos, como consumo de carne de baleia e rena, utilização de peles e as mudanças de comportamento ao longo da história das sociedades.

Visitar o Museu Histórico:
Tarifas: 100 NOK (adultos), 80 NOK (senior/estudante), gratuito para menores de 18 anos e detentores do Oslo Pass
  • Janeiro 2019 a 30 Abril 2019
    Terça à domingo 11:00 – 16:00
  • Maio 2019 a 30 setembro 2019
    Terça à domingo 10:00 – 17:00
  • Outubro 2019 a 23 dezembro 2019
    Terça à domingo 11:00 – 16:00

Museu Popular Norueguês

Inspirado no museu a céu aberto de Estocolmo, o Museu Popular Norueguês concentra num imenso espaço à céu aberto reproduções de construções típicas de várias regiões do país, assim como uma típica igreja norueguesa em madeira que data de 1200. Pessoas vestidas à caráter interagem com os visitantes, mostrando o modo de vida de cada região que representam, assim como tradições do país.

O museu conta também com um espaço de exposição interno, onde podemos ver um belo acervo de roupas típicas, incluindo peças belíssimas de artesanato local, muitas realizadas em tricô e crochê (tenho uma paixão imensa, faço tricô e crochê desde muito pequena). As estampas são bem características, com motivos que remetem à fauna e flora locais, assim como símbolos de inverno. Sem dúvidas foi uma das atrações que mais gostei de visitar!

Visitar o Museu Popular Norueguês:

Horários :

  • 01/01 a 30/04: de segunda à domingo, de 11h às 16h
  • 01/05 a 30/09: de segunda à domingo, de 10h às 17h
  • 01/10 a 23/12: de segunda à domingo, de 11h às 16h

Tarifas: 160 NOK (adulto), 120 NOK (senior/estudante), 40 NOK crianças maiores de 6 anos, gratuito para crianças menores de 6 anos e detentores do Oslo Pass.

Museu do barco viking

Imagine um museu inteiro dedicado a um barco. Estocolmo tem o seu, Oslo não ficou atrás. Se o museu de Estocolmo não tem exatamente um barco viking, no museu de Oslo podemos contemplar não apenas um exemplar de barco viking, como outras peças de acervo que compunham a sepultura viking – nem sempre eles eram queimados em seus barcos, alguns vikings foram sepultados neles. Para chegar ao museu, fomos de barco saindo do porto em frente à prefeitura de Oslo. A travessia de barco estava inclusa no Oslo Pass, assim como a entrada ao museu, uma das melhores atrações de Oslo na minha opinião.

Visitar o Museu do Barco Viking:

  • Aberto todos os dias. Fechado em 01 janeiro, 6 fevereiro, 13 fevereiro.
  • 1 Maio a 30 Setembro: 9h às 18h
  • 1 Outubro a 30 Abril: 10h às 16h

Tarifas: 100 NOK (adulto), 80 NOK (senior/estudante), gratuita para menores de 18 anos e detentores do Oslo Pass

Museu Marítimo

Não cansados de ver barco no Museu do Barco Viking, emendamos a visita ao Museu Marítimo, que fica próximo ao primeiro. O acervo variado retraça a história da navegação norueguesa, e temos também um aula da presença viking no território europeu. Vale aproveitar o passeio à península Bygdøy para visitar seus três museus (Museu Popular, Museu do Barco Viking e Museu Marítimo).

Visitar o Museu Marítimo:

Tarifas: 120 NOK (adulto), 90 NOK (senior/estudante), 40 NOK criança maior de 6 anos, gratuito para crianças menores de 6 anos e detentores do Oslo Pass.

  • Janeiro 2019 a 30 Abril 2019
    Segunda à domingo de 11:00 às 16:00
  • Maio 2019 a 16 Maio 2019
    Segunda à Domingo de 10:00 às 17:00
  • 18 Maio 2019 a 30 Setembro 2019
    Segunda à Domingo de 10:00 às 17:00
  • Outubro 2019 a 23 Dezembro 2019
    Segunda à Domingo de 11:00 às 16:00

Parque de esculturas Vigeland no Parque Frogner

O parque Frogner é o maior parque de Oslo, e também um museu a céu aberto. Ele abriga mais de 200 esculturas do artista noruguês Gustav Vigeland. Aos 15 anos ele troca sua cidade, Mandal, pela capital Oslo para estudar escultura em madeira. Em 1889 ele integra a escola de artes e expõe sua primeira obra ao público. Entre 1891 e 1896 ele visita Paris, Berlim, Florença e Copenhague a fim de aprimorar sua técnica. Em Paris, Vigeland assistiu às aulas de Auguste Rodin!

O reconhecimento da importância do trabalho de Vigeland aconteceu em vida. O artista trabalhou para o governo noruguês após a independência da Suécia, em 1905, e esculpiu bustos de personalidades noruguesas, trabalhou na restauração da catedral de Nidaros em Trondheim, e quando seu ateliê – cedido ao artista pelo governo de Oslo – foi destruído para dar lugar a uma biblioteca, o artista chega a um acordo com o conselho municipal da cidade que prevê a construção de um novo ateliê e casa para o artista, que em troca oferece à cidade seus trabalhos – esculturas, desenhos, modelos. Daí nasce o projeto do parque Frogner, conhecido também como parque Vigeland, no qual o artista trabalhou por mais de vinte anos. As esculturas mais conhecidas do artista que estão no parque são “Angry boy”, “The monolith” e “Wheel of life”. Após sua morte, a casa de Vigeland foi transformada no Museu Vigeland.

Visitar o Parque Frogner 

Aberto todos os dias. Entrada gratuita

Não tivemos tempo de visitar, mas estava nos planos

Museu Munch

Museu de História Natural

Castelo Akhersus – interior

Oslo Pass

O Oslo Pass é um ticket que confere acesso à 30 museus, transporte público, passeios à pé, além de descontos em uma série de lugares e lojas conveniadas. Usamos o nosso ao longo dos três dias que ficamos na cidade, e foi muito bem rentabilizado. Na verdade, por termos o passe, acabamos incluindo atrações que não estavam inicialmente nos nossos planos, e usamos bastante os meios de transporte, pois ele vale tanto pra barco, tram e ônibus. Somente as visitas aos lugares listados somaram 670 NOK por pessoa (preços de 2014), e ainda usamos barco para ir até Bygdøy, além de tram todos os dias, pois nos hospedamos num apartamento um pouco longe do centro. Ou seja, se tivéssemos pago o transporte à parte, teria ficado mais caro que o valor do passe!

Tarifas de 2019. Para tarifas atualizadas, visite o site do Oslo Pass.

Adultos 24 horas: 445 NOK (≈ 46 EUR)
48 horas: 655 NOK (≈ 68 EUR)
72 horas: 820 NOK (≈ 85 EUR)
Crianças

6 a 17 anos    

24 horas: 235 NOK (≈ 24 EUR)
48 horas: 325 NOK (≈ 34 EUR)
72 horas: 410 NOK (≈ 43 EUR)
Senior

acima de 67 anos

24 horas: 355 NOK (≈ 37 EUR)
48 horas: 520 NOK (≈ 54 EUR)
72 horas: 655 NOK (≈ 68 EUR)
*Agradecemos ao apoio do Visit Oslo que nos forneceu informações sobre outros lugares a visitar na cidade, enriquecendo nosso roteiro e nos ofereceu nossos Oslo Pass de 72h. Graças ao Pass, pudemos visitar mais atrações do que havíamos previsto inicialmente.

6 Responses

  1. Débora Resende

    Ótimas dicas! A Noruega é um destino que sempre esteve nos meus sonhos e eu adorei saber um pouco mais sobre o que fazer em Oslo =)

  2. Mariana Antunes

    Engraçado, Oslo também não foi uma região que eu me interessei tanto, mas eu estou vendo tanta coisa interessante da cidade que estou mudando de ideia. O Parque de esculturas Vigeland é maravilhoso, lindíssimo! Certamente iria tmb na Galeria Nacional. Obrigada pelas dicas super ricas!

  3. Klécia

    Taí, Oslo também não estava na minha lista de prioridades, mas fiquei bem curiosa e tentada ao ler o post. O Grito com certeza é um ótimo fator de convencimento rs, e esse é perto, vamos lá também ecoa na minha cabeça em situações assim. Fora a cultura Viking né? Sou muito curiosa sobre isso!

  4. Angela C S Anna

    ahh eh em oslo que fica a escultura do cara revoltado com os filhos haueahe quero muito viajar para a noruega, ja na capital da pra ver muita coisa viking ne! que demais

  5. Mariana Menezes

    Eu amei passear pela Noruega, quando fiz um cruzeiro saindo da Inglaterra. Mas Oslo não estava entre as paradas. Desde então, tenho muita vontade de voltar e explorar mais. Já anotei vários lugares interessantes que você citou, como o Parque Frogner que eu achei lindo!

  6. Lulu Freitas

    Adorei conhecer Oslo pelo seu post!!! Quanta coisa interessante para fazer, pena que não teve tempo de ir no Museu Munch já que você gosta do artista. Fiquei fascinada pelo Memorial do Nobel da Paz. Que bacana a ideia!!!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.