Roteiro de viagem para o Japão

Japão, um destino de viagem que nos fascinou. Em 2018 completamos 10 anos de casados, e tinha pensado num destino bem longe pra comemorar esse tempo junto. No início do ano disse ao Bernardo que eu queria visitar pelo menos um país na África e um na Ásia e dei carta branca pra ele escolher o país que quisesse num dos dois continentes. “Japão”, respondeu ele, sem pestanejar. Eu acabei escolhendo o Marrocos, e comecei a preparar o nosso roteiro de viagem para o Japão, com uma criança pequena a tiracolo –  pois levamos o Vic conosco, que estava então com pouco mais de três anos. Neste post detalho nosso roteiro de viagem para o Japão. Para saber o que achei de Tóquio, é só ler este post que escrevi ainda durante a viagem.

Viaje para o Japão com tranquilidade, faça aqui seu seguro de saúde para viagem!

Nara e os cervos, “mensageiros de Deus”

Roteiro de viagem para o Japão com criança

Ficamos exatos 14 dias no Japão e dividimos nosso roteiro entre duas principais cidades; Tóquio e Quioto. Viajamos da França até o Japão pela Lufthansa, com conexão em Frankfurt na ida e em Munique na volta. O tempo de voo Frankfurt-Tóquio foi de cerca de 11h, não muito diferente do que enfrentamos num voo Paris-São Paulo. A volta foi um pouco mais longa, 12h de voo, e decolamos de dia, chegando na França por volta das 21h (hora local), com Vic dormindo a maior parte dos voos – mais da metade do voo de volta e todo o voo de Munique a Marselha, chegou dormindo em casa e ficou assim até o dia seguinte.

 

Nossa chegada e saída foi pelo aeroporto internacional de Tóquio-Haneda. Segui a indicação do Riq Freire e começamos a explorar o país por Quioto, terminando nossa viagem em Tóquio, e fez toda diferença, pois não sou muito encantada por cidades, mas acabei me apaixonando por Tóquio. A escolha por duas cidades base foi pra evitar a fadiga de pinga-pinga de cidade com criança a tiracolo. Além de nos hospedarmos em Tóquio e também passar seis dias em Quioto, passamos uma noite em Kawaguchiko para ver o monte Fuji. Veja também as dicas da Patti de 7 coisas malucas para fazer em Tóquio.

  • Dia 1 (18/10/18): chegada em Tóquio, passeio de reconhecimento na região de Shinjuku, jantar maravilhoso num restaurante de grelhados perto do primeiro hotel onde nos hospedamos.
  • Dia 2 (19/10/18): rolê em Shinjuku, ida à estação para trocar o voucher pelos Japan Rail Pass.
  • Dia 3 (20/10/18): viagem de trem rápido de Tóquio a Quioto. Chegada em Quioto e passeio em Fushimi Inari.
  • Dia 4 (21/10/18): passeio por Quioto, visita ao templo
  • Dia 5 (22/10/18): passeio por Quioto, visita ao Nijo-Jo (palácio do Shogun em Quioto), visita ao mercado
  • Dia 6 (23/10/18): bate-volta a Nara, primeira capital do Japão
  • Dia 7 (24/10/18): passeio pelo bairro de Gion, visita ao tempo Kiyomizu-dera
  • Dia 8 (25/10/18): bate-volta Himeji
  • Dia 9 (26/10/18): volta de trem para Tóquio
  • Dia 10 (27/10/18): ida de ônibus pra Kawaguchiko, passeio de barco no lago com vista pro monte Fuji
  • Dia 11 (28/10/18): volta pra Tóquio, passeio em Shinjuku, ida ao shopping
  • Dia 12 (29/10/18): passeio em Shibuya, visita ao santuário Meiji
  • Dia 13 (30/10/18): visita ao Museu de Tóquio
  • Dia 14 (31/10/18): ida à Tokyo Tower (sem subir), subida na Tokyo Skytree

Alimentação em viagem para o Japão

Uma pergunta que me foi feita com frequência por amigos durante e depois da nossa viagem foi relativa à alimentação no Japão, principalmente com relação à alimentação do Vic. Não tivemos nenhuma dificuldade, pois comida japonesa é sua favorita! Ele é fã de sushis e o arroz japonês é garantia de sucesso inclusive quando ele fica doente e o apetite desaperece! Mas nem só de sushi é feita a culinária japonesa, extremamente saborosa e variada em seus ingredientes e modos de preparo.

Quem não curte peixe cru pode se deliciar com os churrascos, carnes grelhadas ou empanadas, molhos com ingredientes que fazem as papilas vibrar e ainda legumes preparados de formas bem diferentes do que temos costume de comer no ocidente. Vic é fã de sopa e macarrão, udon foi um acerto enquanto passeávamos pelo castelo em Quioto ou ainda uma bela sopa com algas de entrada num almoço em Tóquio.

Os mercadinhos tem muitas opções de pratos prontos com preços excelentes, coisa de menos de 5 euros por uma refeição quente, e ainda pudemos encontrar frutas frescas ou purês de frutas em saquinho para os lanches enquanto passeávamos.

Visto para viagem para o Japão

Brasileiros viajando para o Japão precisam solicitar visto para turismo 3 meses antes da viagem, e a entrada no Japão deve ser feita em até 3 meses após a emissão do visto. Para saber mais detalhes, sugiro consultar este post detalhado da Dani sobre como tirar o visto japonês. Cidadão europeus não precisam solicitar visto com antecêndia para visitar o Japão, basta apresentar o passaporte com validade superior a 6 meses e recebemos um carimbo na imigração que diz quanto tempo podemos permanecer no país.

Japan Rail Pass: passe de trem

Assim que defini o roteiro, pude escolher o Japan Rail Pass que melhor se adaptou pros nossos deslocamentos, que foi o passe de 7 dias. O primeiro dia e meio ficamos em Tóquio mesmo, pra adaptar ao fuso horário (eram 8 horas a mais em relação ao nosso horário na França) e fizemos a troca do voucher pelo passe na estação de trem de Shinjuku, um dia antes da viagem para Quioto.

Fiz a compra dos dois passes para adultos ainda na França por um site especializado, recebi os vouchers em casa em pouco tempo e as orientações sobre a troca pelo passe: munidos dos nossos passaportes com carimbo de entrada no Japão e dos vouchers, trocamos pelos passes na loja da estação. A data indicada para início do uso foi o dia da viagem para Quioto, e o passe perderia sua validade no dia seguinte ao nosso retorno à Tóquio. Vic tinha três anos e ainda não seria necessário comprar um passe para ele. A única despesa de transporte que tivemos com ele no Japão foi a passagem de ônibus de Tóquio à Kawaguchiko (ele pagou meia passagem por ser obrigatório ter um assento reservado, não poderia viajar no nosso colo).

Com nosso passe fizemos a viagem de Tóquio à Quioto e de volta à Tóquio, mas também um bate-volta à Nara e à Himeji. O passe é válido nos trens rápidos (shinkansen) com exceção dos trens expressos Nozomi Mizuho. Para a viagem de ida reservamos nossas poltronas no momento da troca do passe em Tóquio, mas para os outros deslocamentos, incluindo a volta de Quioto à Tóquio não reservamos os assentos pois não quisemos ficar presos ao horário do trem, observando apenas para embarcar nos vagões sem assentos reservados.

Quanto dinheiro levar numa viagem para o Japão

Saimos da França já com uma boa quantidade em dinheiro vivo para usar na nossa chegada ao Japão nos principais pontos onde eventualmente os cartões não seriam aceitos – alguns restaurantes e bares, mercadinhos e o albergue onde nos hospedamos em Kawaguchiko, que só aceitava pagamento em espécie. Levamos também uma quantia em euros caso precisássemos trocar por mais yens, mas acabamos não precisando, pois as despesas maiores puderam ser cobertas pelos cartões, deixando o dinheiro vivo pra ser usado nas situações que já estavam previstos – principalmente o pagamento do albergue, compras nos mercados municipais e a faca artesanal que trouxe de Quioto foram alguns desses gastos. Para os 14 dias de viagem levamos 125 mil yens para 2 adultos e uma criança de 3 anos, o que na época deu cerca de 1000 euros, além do nosso cartão e cerca de 200 euros em espécie (que não usamos).

Privilegiamos os mercadinhos locais para comprar comida, e em termos de restaurantes os dias em que gastamos mais foram no meu aniversário em Kawaguchiko – a conta deve ter ficado na casa dos 10000 yens com bebidas e vários pratos – um almoço em Nara e o almoço no restaurante de sushis em Tóquio, mas nenhum desses lugares superou os 10000 yens (acho que o meu aniversário foi o dia em que mais esbanjamos na comida e bebida). As entradas nas atrações foram pagas majoritariamente no cartão, o mesmo para os tickets de transporte em Quioto e Tóquio, e as lembrancinhas e comidinhas de rua eram pagas no dinheiro.

 

 

10 Responses

  1. Fernanda Souza

    Muito legal o seu roteiro de viagem para o Japão, Nat. Eu fiz uma versão resumida desse seu roteiro quando fui. Mas ao contrário do Vic, eu não sou fã de comida japonesa. Achei, inclusive, que sofreria horrores com a alimentação lá, mas me surpreendi. Encontrei muitas comidas que não encontro no Brasil e muitas carnes grelhadas. Foi a minha salvação.

  2. Cintia Grininger

    Conhecer o Japão com as crianças é um sonho! Embora não sejamos fãs de comida japonesa, os pequenos aqui em casa são fascinados pela cultura oriental. Achei ótimas as dicas e adorei o detalhamento financeiro, deu uma boa ideia dos gastos dessa viagem.

  3. Gabriela Torrezani

    Adorei o roteiro de viagem para o Japão com crianças que vocês fizeram, nunca pensei que fosse um país tão legal para levar os pequenos… mas é, né? Já quero voltar quando tiver filhos 🙂

  4. Ruthia

    Quem me dera que o meu marido fosse assim fácil de convencer. Tem que ser bastante “trabalhado” até concordar com certas viagens, haha.
    Adorei o seu roteiro no Japão e espero aproveitar as suas dicas em breve.

  5. Nathalia Tosto

    Que INCRIVEL!
    Viagem dos sonhos… morro de vontade de conhecer o Japão, mas ainda não tenho coragem de levar a minha pequena a tiracolo.
    Vocês arrasaram muito!

  6. Andrea

    O Japão é um país interessantíssimo, a sua cultura e arquitetura devem dar um charme a mais na viagem. Adorei o roteiro de vocês.

  7. Marcia Picorallo

    Para quem como eu ainda não fio à Ásia, dinheiro, visto, tudo me parece tão exótico! Japão está na minha lista, adorei ler este roteiro. Muito bom você ter dado uma ideia de custos, obrigada!

  8. Juliana

    O Japão é o sonho de consumo da minha irmã e ela está colocando esse bichinho em mim. Com esse seu post então… acho que quero mais! Gostei que falou sobre as comidas, que não é só peixe cru e dá pra comer outras coisas, as vezes a gente aqui fica com um estereótipo bem marcado né.

  9. Fabíola Moura

    Eu também adoro fazer uma viagem com esse tempo de 14/15 dias para aproveitar bem e conhecer com calma, principalmente com crianças. E o Japão merece né? Que bom que você não teve problemas com a alimentação do pequeno, gostei de saber também da variedade de opções de cardápio, uma das nossas partes preferidas das descobertas de cada destino, rs.

  10. Mari Couto

    O Japão é meu próximo destino e seu post ajudou bastante 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.